Motel dentro do colégio

Sempre odiei aula de educação física, sempre dava um jeito de escapar dessa aula, muitas vezes me pegaram nas minhas escapulidas, não havia lugar para se esconder e o colégio tinha um monitor que ficava caçando os alunos gazetas (sempre que os professores desconfiavam de um aluno, mandavam esse inspetor o procurar pelo aluno dentro e fora do colegio). Eu sempre gostei de estudar, apenas não gostava da aula de educação física, por causa disso, durante anos eu quebrei a cabeça para arrumar uma forma de gazetar uma aula sem precisa gazetar as outras, de tanto pensar eu arrumei um lugar perfeito para me esconder “ em cima das salas ”, isso mesmo, em cima das salas.
O meu colégio era apenas no térreo, com uma sala do lado da outra que formava um corredor de salas, as salas tinham um telhado bem grande, que saia bem para fora e formava um tipo de varanda, um abrigo para proteger os estudantes da chuva, e era nessa varanda que tinha os alçapões de acesso para dentro do telhado das salas. Não era difícil ter acesso ao alçapão, era preciso só subir nos ombros do Arnaldo (o guri mais alto do colégio) que eu alcançava o alçapão e lá em cima, eu e outros alunos que estávamos gazetando juntos, erguíamos o Arnaldo pelas mãos (o maior segredo de se gazetar é nunca ir sozinho, porque se dá alguma merda, não sobra apenas para um). Nem sempre usávamos o Arnaldo, o meu colégio era o único que deixava escadas dando sopa pelo colégio, praticamente um convite para que os alunos fujam do colégio.
No começo esse nosso esconderijo era usado apenas para gazetar aula, mas depois foi usado para fazer um campeonato de truco dentro da escola (jogar truco no meu colégio era proibidaço, você podia botar fogo num professor, quebrar a escola, fumar... que você pegava apenas uma advertência, mas se a diretora te pegasse jogando truco, era suspensão imediata). Agente fez alguns campeonatos, algumas vezes em cima de salas que estavam tendo aula, de vez em quando ouvíamos os professores perguntando por nos, agente foi ao ponto de fazer um campeonato que tinha mais de 20 alunos no telhado jogando truco... nunca nos pegaram, agente ficava o mais quieto possível, e como o teto das salas era laje, ajudava a abafar qualquer som, as vezes um ou outro professor ouvia algo, mas eles pensavam que eram ratos que faziam o barulho.
Um belo dia, um cara me fez um pedido estranho, ele me disse o seguinte “João, to na seca, será que você arrumava um daqueles alçapões, para que eu e a minha namorada pudéssemos dar uma namorada???” e eu respondi com o maior prazer para ele “Claro!!!!! São 5 mangos...”, ele ate tentou chorar e se lamentar, mas foi como eu disse para ele “Ou me paga, ou não sai da seca”. Apesar do choro ele aceitou pagar.
Fiquei de encontrar ele e a namorada em baixo do alçapão do bloco 2, um pouco antes do termino da terceira aula. Procurei uma escada por toda a parte, mas justo nesse dia não havia nenhuma dando sopa, então tive que improvisar, afanei 4 carteiras de uma sala vazia e fiz um tipo de escada com as carteiras. Na hora marcada estavam os dois me esperando em baixo do alçapão, para a minha surpresa a namorada dele era muito gorda, devia ter uns 150 kilos, ela chegou a entortar uma das carteiras ao subir nela, mas o pior foi entrar no alçapão, a gordinha estalou e precisou de ajuda para entrar (o cara puxando lá e eu empurrando a busanfa dela embaixo), mas com jeitinho ela entrou. Depois de 5 minutos os dois saíram (rápido neh????), na saída ela nem chegou a entalar, não sei o que ele fez com ela, mas a gordinha perdeu uns 10 quilos...
A partir daí, percebi que havia uma maneira de ganhar dinheiro, fui ate o meu amigo Carlos e contei para o acontecido, os olhos dele ficaram brilhando, e quando eu contei que queria repetir aquilo ele deu um pulo de alegria (para fazer coisa errada é com ele mesmo).
No dia seguinte agente levou um colchão e um lençol (meio furreca mas servia), e os colou num dos alçapões. No dia seguinte já tinha alguém usando, com o tempo o negocio se popularizou, vários alunos queriam usar o motel improvisado, inclusive um casal de professores (e eles usaram algumas vezes). Teve dia que 3 alçapões foram usados ao mesmo tempo, cheguei a ganhar 40 pilas (40 meu, 40 do Carlos e um e outro dimdim para pagar umas pessoas que ajudavam). Não pude aproveitar muito, isso durou apenas dois meses e meio, nunca fomos pegos, como fui para outro colégio, não deu mais para repetir essa façanha. Não me orgulho de ter feito isso (mas valeu apena, já que rendeu um bom dimdim), mas de uma coisa eu me orgulho, talvez eu tenha sido o único ser no mundo a ter montado um motel no colégio e se não fui o único fui um dos únicos.

2leep.com
 
©2009 Historias de minha vida | by TNB