Tetas umidas


Essa é uma das minhas historias mais antigas, ela aconteceu na quarta serie, quando eu tinha aula com a professora Carla, como ela era considerada a mais malvada da escola e por isso apelidaram ela de Fera. Eu descobri a causa desse apelido quando eu presenciei uma cena onde ela estava muito nervosa com um aluno (ela sem pensar nas conseqüências rasgou o caderno do aluno e atacou ele na parede depois ainda não satisfeita ela levantou uma carteira e atacou na cabeça do aluno e tudo isso na base dos gritos e berro). Apesar dessas crises, onde ela se transformava, ela era toda certinha e sempre se vestia elegantemente (apesar de fora de moda, sempre estava elegante), ela tinha o costume de falar com um biquinho na boca( como uma francesa ), e alem de ser extremamente educada ela tinha o costume de passar essa educação para seus alunos. Aquilo que mais me marcou foi ouvir ela falando para os alunos espirrarem dentro da camisa, e se alguém por algum acaso se esquecesse de fazer isso ela ia ate a carteira e dava aquela bronca.
Eu sinceramente odiava fazer isso, quando a gente espirrava dentro da camisa deixava o peito todo molhado, isso quando eu sem querer dava aquela catarrada e ficava todo gosmento por dentro da camisa!!!
Um belo dia sem querer eu espirrei fora da camisa e para meu azar ela acabou vendo:
- Senhor João Paulo! Quantas vezes eu já disse, para você erguer a gola da camisa e espirrar dentro de sua camisa?
- Mais de cem vezes professora!!!
- Então porque você continua espirrando fora da camisa? Você um dia vai acabar espirrando em um coleginha seu!!!
- AAAAHHHH, eu prefiro espirrar na cara desse infeliz do meu lado do que espirrar em mim mesmo...
- OOOO que???
- E porque a senhora não faz o mesmo e da o exemplo?
- Porque eu sou sua professora e porque eu sei desviar o meu espirro!!!
Quando eu ouvi essa historia eu fiquei pê-da-vida, porque os alunos que sentavam perto dela reclamavam que as vezes ela espirrava bem na cara deles. No dia seguinte a essa bronca eu levei para a escola um vidro de pimenta do reino para a escola, depois que todos entraram na sala e se sentaram e a professora começou a fazer a chamada eu aproveitei a distração dela e comecei a cafungar no vidro de pimenta, cafunguei, cafunguei, cafunguei ate dar vontade de espirrar, daí eu segurei o espiro e fui ate ela com apenas um pensamento em minha cabeça: “vingança, vingança agora ela vai saber como é bom espirrar dentro da camisa”, cheguei perto da professora, dei uma olhada e ela tava com uma gola um pouco maior do que o de costume ( isso iria me ajudar ), cheguei perto dela sem ela perceber e num ato rápido eu puxei a gola dela e dei aquele baita de um espirro dentro da camisa dela, só que sem querer saiu um monte de catarro de meu nariz que foi direto para que foi direto para o meio dos peitos dela, foi tanto catarro que deixou aquele fiozinho nojento que ligava o nariz meu as tetas da professora, quando ela sentiu algo geladinho dentro da blusa ela deu um salto da cadeira e começou a correr de um lado para o outro da sala gritando “ai que nojo ai que nojo”, sabe do jeito que ela corria, gritava e se mexia, não parecia que os peitos dela estavam com catarro e sim que eles estavam pegando fogo, enquanto ela se contorcia, a turma estava se cagando de tanto dar risada. Depois de tanto sapatear ela saiu correndo pela porta e sumiu. Ela ficou fora da sala por mais de meia hora, enquanto ela estava fora a turma continuara a dar gargalhadas e só pararam de rir quando ela voltou, ela chegou na sala e a primeira coisa que ela fez foi olhar para mim e dizer:
- Que ato repulsivo senhor João Paulo, você vai aprender agora a nunca mais espirrar em alguém de novo!!!
Para falar a verdade isso que eu fiz não serviu de lição para ela (apenas deixou ela furiosa comigo) a única coisa que eu ganhei com isso foi ficar a aula inteira um canto da sala usando um chapéu de burro enquanto a professora e a sala inteira tiravam sarro de mim!!!!

2leep.com

Remedio errado



Meu avô vivia doente, mas por incrível que pareça a maior parte das doenças dele se curavam apenas com um comprimido ou pior, com o remédio errado, isso mesmo se ele estivesse com dor de cabeça e ele tomasse um sal de frutas a dor de cabeça dele passava, se ele estiver gripado e ele tomasse um anador em meia hora ele estava curado!!! Um belo dia eu quis ver a que ponto chegava a frescura do meu avô. Um dia ele me pediu:
- será que tem algum remédio para gripe aqui em casa? Se eu não tratar dessa reação logo a gripe pode virar pneumonia!!
- Ah tem um remédio ótimo que a mãe comprou!
Daí eu fui para a cozinha, peguei um laxante e dei para o veio, uma meia hora depois lá estava o veio no banheiro, daí eu cheguei perto da porta do banheiro e perguntei:
- Vô você melhorou da gripe?
- Oia o remédio é bom mesmo já sarei da gripe, mas o ruim é que o remédio deu uma reação contraria e eu to cagando pelas canelas!!!!

2leep.com

Sou destaque

Nesse dia 14 ganhei o fui destaque do site Gazeta dos Blogeiros, agradeço a todos que visitam meu blog e me ajudam a melhora-lo a cada dia!!! Mandem suas historias e eu vou as publicar nesse blog olhandoalua@pop.com.br

clique nesse linque e comprove voce mesmo oque estou disendo

Destaques: 14/03/07
Gazeta dos Blogueiros - 18-Mar-2007

2leep.com

Historia da komki


Essa historia começou numa idéia de um amigo de reunir uns amigos e ir passar uma semana na praia, para relaxar um pouco e esquecer da vida, no mesmo dia a gente combinou o que cada um que fazer para que a viagem acontecesse. Um combinou que iria arranjar o transporte, outro disse que arranjava uma casa para passarmos a semana, outro iria pegar uns colchões da casa dele, outro levaria comida e bebida etc... umas duas semanas depois nos estávamos prontos para a viajem, a única coisa que faltava era o transporte que não chegava. Tinha sete idiotas com um monte de tranqueira esperando havia uma hora outro idiota, o Marcelo, chegar com o transporte. Daí olhei para longe e vi uma Kombi velha e caindo aos pedaços vindo, ainda tive a infelicidade de ter o seguinte pensamento: “ será que ele arrumou aquela tranqueira para a gente ir viajar? NNNNNãããããoooo ele não seria tão idiota!!!”, mas pela nossa infelicidade ele foi alem de uma simples idiotice ele foi alem ( ele emprestou a Kombi do tio dele que é peixeiro e que usa a mesma para trabalhar), quando o Marcelo chegou e viu a nossa cara ele disse:
- quem quer dar um giro na cheirosa?
“ cheirosa? Oque ele quis dizer com isso?”, mas quando eu entrei no carro eu entendi o porque do apelido, tinha o maior cheiro de peixe podre. Mas bem, como não tinha outra alternativa ( como diria aquele ditado “ QUEM NÃO TEM CAVALO VAI BURRO MESMO!!!”) nos enfiamos as tralhas dentro da cheirosa e nos enfiamos no meio da tralha e fomos viajar mesmo com aquele cheiro de peido de veia que emanava dos bancos.
Para dar uma resumida: eram 8 pentelhos (nos) e um monte de bagulhos entuxados em uma Kombi que tinha o apelido de cheirosa que fedia e estava caindo as pedaços, indo para uma praia que ficava a mais ou menos uns 650 km de nossa cidade! e como nos andávamos a uma media de 60k/h, iríamos levar no mínimo umas 10 horas para chegar no nosso destino.
Mas levou bem mais de 10 horas para chegarmos, já que a cheirosa quebrou no meio do caminho e no meio do nada. Ficamos um tempo tentado arrumar a cheirosa mas ninguém conseguiu nada, nossa sorte e salvação divina (ou não) um tiuzinho de bicicleta passou por ali e deu para gente perguntar se ele sabia onde tinha um mecânico, para nossa surpresa quando o tiuzinho falou, nos tivemos que nos segurar para não rir, já que o tio era fanho e falava quenem o cebolinha da turma da Mônica:
- Oía!!!! Pala lá, ééééé daqui umas duas léguas bemmmm tem uma vila e lá deve ter um mercanico lá!!!!
Daí nos agradecemos o tio e ele foi embora em sua bicicleta torta, depois que ele foi embora a gente começou a discutir o que deveríamos fazer naquela situação:
- ( EU ) acho que nos deveríamos nos dividir em dois grupos, um cuida do carro enquanto o outro grupo vai buscar o mecânico..
- ( GUG ) não o melhor é a gente tentar arrumar o carro e quem sabe com um pouco de sorte a gente consiga arrumar essa pocilga.
- ( NADNAEL ) eu acho melhor a gente empurrar a cheirosa ate a vila, afinal algumas léguas não deve ser muito longe!!!!!
Nos colocamos as idéias em votação e a mais votada foi a de empurrar a cheirosa ate a vila, bem um tempo depois eu fui descobrir que uma légua é igual a 6,6 quilômetros, e que o veio tinha dito era verdade, a vila ficava mesmo a duas léguas mais ou menos 13 quilômetros (empurrando a Kombi).
Depois de muito esforço e de muito xingar o Nadnael nos chegamos a vila e levamos a cheirosa para o mecânico. O mecânico olhou, olhou, olhou, mexeu, mexeu, olhou e deu mais uma mexidinha no motor e disse:
- acho que não tem conserto não (deu uma pausa) acho que fundio o motor e não vai compensar vocês arrumarem porque se vocês comprarem um motor novo vai sair mais barato, se vocês quiserem tem um ferro-velho de um amigo meu e ele vai fazer um preço bem camarada pra vocês.
Daí fomos ao ferro-velho, falamos com o dono e chegamos a conclusão de que o motor iria comer todo o nosso dinheiro!!!! Se comprássemos o motor, nos iríamos ficar sem dinheiro para o combustível da volta. Bem passamos a noite na praça pensando num jeito de resolver o nosso problema, coisa que seria difícil já que lá não tinha banco e o ônibus que levava o pessoal para uma cidadezinha um pouco maior onde tinha um banco só passava a cada duas semanas e a gente tinha acabado de perde-lo. No dia seguinte o Carlos e o Gug pegaram umas tralhas e foram para frente da igreja (logo após o termino da missa), ele tentaram fazer um show de mágica para tentar conseguir dinheiro. Ate que o show foi lucrativo deu 12 reais e 59 centavos, mas só deu para comprar uma coxinha para cada um e um refrigerante. Daí eu passeando pelas poucas ruas daquele fim de mundo eu me deparei com uma Kombi pior do que a nossa, tava com um pneu furado e tava mais inferrujada do que a Derci Gonçalves!!!! Daí tive uma idéia loca e fui correndo contar aos meus amigos, como eles são mais doidos do que eu ele aceitaram a proposta e de madrugada eu e mais três levando uma maleta de ferramentas e uma cerrinha (que a gente encontrou dentro da cheirosa) fomos tirar o motor daquela Kombi para colocar na cheirosa ( nos combinamos que um dia a gente voltava ali e pagava o prejuízo ao dono) estava todos preocupados que seria difícil tirar o motor dali, mas pela a nossa surpresa os suportes que seguravam o motor estavam tão enferrujados que o motor logo caiu, e para o nosso azar o motor caiu no pé do Nadnael, que gritou:
- ai cacet**** essa me*** ta esmagando meu pé, mas que por***
na hora as luzes da casa do dono da Kombi se acenderam e um veio apareceu na janela, enquanto eu tentava tirar o motor do pé daquele infeliz o veio saiu para fora com as mãos nas costas e andando com as pernas abertas, parecia um cow-boy de filme americano andando(na verdade eu acho que ele tava assado), quando o velho tirou as mãos das costas todo mundo se assustou, o cara tava segurando um escopeta ( quando eu vi a escopeta eu pensei “ porque um veio gagá de bunda assada que mora no fim do mundo precisa de uma escopeta? Pior quem foi o imbecil que vendeu a escopeta para ele?”), foi a gente começar a correr e o veio começar a atirar, saímos correndo desesperados para trás de um muro, o veio deu mais uns tiros e parou, daí eu dei uma olhada por cima do muro e vi que o veio tava tendo problemas para recarregar a arma, aproveitei que ele tava enrolado e dei o alarme, todos saíram correndo para o outro lado da rua ate um morro que tinha uma decida de uns150 metros, nos pulamos no morro e descemos rolando( quem viu a cena de longe deve ter se perguntado: por que será que aqueles retardados estão descendo o morro rolando?), como eu tenho uma sorte enorme, depois de descer um pouco rolando eu dei de pança numa arvore e como fiquei para trás o veio começou a atirar em mim, por sorte o veio não acertou ninguém (alem de assado ele deveria ser míope, ainda bem!!!) mas chegou bem perto...
No outro dia eu sentei na calçada e fiquei pesando que o motor não poderia ter fundido, ele não soltou fumaça!!!! Ele antes de parar ele engasgou como se tivesse entupido alguma coisa, daí eu e um amigo desmontamos o motor e limpamos cada canto e buraco daquela joça, por incrível que pareça quando eu dei a partida o motor começou a funcionar como se nada tivesse acontecido. Conclusão nos voltamos a estrada, quando chegamos na praia a casa que iríamos ficar já estava alugada já para outras pessoas., já que a gente demorou a dona alugou para outras pessoas, com isso tivemos que passar as noites na Kombi, nos tirávamos os bancos e colocávamos colchões e quem não cabia dentro teve que durmir nas redes do lado de fora, na volta nos demos uma passada naquela vila e deixamos na porta do veio assado um presentinho ( pelos os problemas causado), deixamos um tubo de hipoglos na porta dele.

2leep.com

Tirando com o esperto




Eu adorava freqüentar um barzinho que era bem sossegado!!! ate que um dia um ZE ROELA apareceu e nunca mais foi embora! O cara era mais metido que bicha veia e chato pra caramba, o Soquete (com o apelidaram),que tinha o costume, de já chegar torto de bêbado no bar falando sozinho e alto incomodava tudo e a todos que estivessem perto dele. Uma das coisa que mais me incomodava, era quando ele decidia tirar com a cara de todos aqueles que estavam ao seu lado, pior ainda era quando ele decidia ir ao banheiro:
Ele pedia um copo de cerveja que ele deixava em cima da mesa e antes dele ir ao banheiro ele sempre dizia bem alto:
-duvido que tenha alguém homem o suficiente para beber a minha cerveja enquanto eu vou ao banheiro!!!
Tinha varias pessoas que iam na mesa dele, mas elas sempre voltavam sem beber a porcaria da cerveja, mas para piorar quando o Soquete voltava do banheiro ele dizia “viu!!! só tem viado aqui!!!”. Bem depois de ver aquela cena pela 15° vez eu resolvi ir ate a merda da mesa e beber a maldita cerveja, quando eu cheguei a mesa eu vi um bilhete que dizia: “ cuspi nesse copo!!!”, daí eu comigo mesmo pensei “que filho da mãe”, mas logo eu resolvi o problema, eu pedi ao garçom um pedaço de papel e uma caneta, daí eu dei uma bela cuspida dentro do copo e deixei um bilhetinho em cima do copo que dizia: “ eu também!!!”.

2leep.com

Professor bom de mira

Minha antiga escola ficava ao lado de uma avenida bem movimentada, além do barulho dos carros, havia o barulho dos apitos dos guardadores de carros e os gritos dos vendedores ambulantes. Quase todos os dias havia alguém gritando ou apitando na rua e como a minha sala ficava ao lado da avenida, tanto barulho acabava atrapalhando a aula.

Um belo dia... Um dos guardadores de vagas, começou a fazer um mini show no meio da rua, apitava, dançava e gritava para atrair carros para suas vagas. Estávamos no meio da aula do professor Ronald ( que era conhecido pelas vezes que perdia a cabeça e acaba fazendo alguma cagada, o rendia muitas historias engraçadas ). Educadamente o professor foi ate a janela e falou para o cara lá de baixo (minha sala ficava no 2° andar):

- Pissiu!!! Ooooo amigo! Será que você pode parar de apitar por favor? Você está atrapalhando a minha aula...

O cara parou de apitar por cinco minutos e depois recomeçou a apitar.

“- que merda! Por que esse bando de zé-bunda tem que ficar apitando bem na minha aula? Porra!!!”(bradou o professor Ronald).

Daí o professor foi ate a janela e disse:

- o seu vagabundo! Será que você não ouviu eu pedir para você parar de apitar essa merda?

Dessa vez o cara não deu nem bola e para colaborar coma situação, mostrou o dedo do meio para o professor. Depois daquele chilique do professor, todos os alunos foram para a janela ver o que iria acontecer:

“ o professor voltou para a sala, pegou o apagador, voltou para a janela e do segundo andar o professor jogou o apagador no coitado do guardador de vagas. Por incrível que pareça o professor acertou bem no meio da testa do coitado! O cara ficou meio tonto e cambaleante, dessa maneira ele foi parar no meio da rua, onde foi atropelado por uma Cherokee! Com o impacto o pobre coitado foi lançado para frente. O guardador de carros teve forças para se levantar e mostrar o dedo pela ultima vez para o professor...."

Então o professor disse:

- bem feito! Da próxima vez eu ataco uma cadeira enquanto estiver vindo um ônibus!!!

E um tempo depois ele atacou a cadeira na cabeça do cara, só que não estava vindo um ônibus e sim um caminhão, mas essa já é uma outra historia!!

2leep.com

Carro ferrado

Minha família resolveu fazer uma viagem com 10 horas de duração no fim do ano para visitar parentes, para essa viagem meu pai decidiu comprar um carro melhor para que pudéssemos ter uma viagem tranqüila e sem preocupações.

Mas existia um pequeno problema, meu pai queria comprar um carro importado, seria uma realização de um sonho de criança do meu pai. Por causa desse sonho, ele quis por quer quis um carro importado, mesmo que fosse usado, (já que tinha dinheiro para gastar, que gastasse em algo bom, dizia ele...), por causa dessa teimosia acabamos comprando (para dar um jeito na birra dele) um carro japonês. Testamos esse carro por quase um mês só para ter certeza de que o bichinho era bom (até então ele agüentou o tranco)....

No dia da viagem tivemos um trabalho imenso para arrumar as bagagens e colocar tudo dentro do carro, após todos os preparativos a nossa viagem começou e iria demorar para acabar.... Com duas horas de viagem ainda estávamos animados e até cantando, animação que acabou quando algo aconteceu!!!! um barulho muito alto atrás do carro chamou a atenção da família toda, até que meu irmão com um berro mandou meu pai parar o carro:

O Pai parou o carro e desceu e para ver o que estava acontecendo, depois de dar aquela olhadinha básica ele exclamou “- mas que cacet*** o pára-choques esta caído e arrastando no chão!!!”

Com muito esforço e com a ajuda de todos, conseguimos amarrar o pára-choque (com linha de pesca) no lugar dele. Minha mãe ainda disse: “- ainda bem que só foi o pára-choque do carro!!!!”(mas ela estava errada)

Depois de cinco quilômetros começou a chover e por incrível que pareça começou a gotejar dentro do carro (pelo jeito o rack de cima do carro estava mal instalado), e mesmo embaixo de goteiras continuamos nossa viagem. Depois de mais meia hora, quando meu pai foi fazer uma ultrapassagem, o volante parou de responder e por mais que ele virasse o volante nada acontecia, para nossa sorte o problema apareceu na reta (se estivesse na curva, já era...), deu para parar o carro e virar as rodas do carro com as mãos, depois tivemos que empurrá-lo para o acostamento para tentar achar o problema.

Meu pai logo achou o problema e ficou estarrecido! a mangueira da direção hidráulica havia se desprendido do nada, derramando fluido hidráulico pelo motor e fazendo com que a direção parasse de responder. Após o pequeno concerto a gente novamente entrou no carro e voltamos a viagem.
Depois de uns quarenta minutos o carro quebrou de novo, gastamos mais meia hora para arrumar esse problema e novamente voltamos para a estrada. Minha mãe desesperada queria desistir da viagem e voltar para casa, com toda a calma do mundo meu pai dizia:

- “não se preocupe foram apenas infortúnios!!!!”

Viajamos bem por mais umas duas horas até que o carro quebrou de novo! Arrumado o carro nós voltamos a estrada, o carro quebrou por mais duas vezes e vai saber como o meu pai conseguiu dar um jeitinho todas as vezes que o carro quebrou. Já nervosa, minha mãe gritava a seguinte sentença toda vez que o carro quebrava ou dava um defeitinho:

- mas que c* ... eu avisei para comprar uma merda de uma carro nacional..... porra!!!! Porque ninguém me escuta? Tinha que comprar essa banheira “ching-ling” que não serve nem para espantar peido de velha!!!!

Mais a frente o meu pai disse “ acho que o pneu furou ” , então minha mãe na hora gritou “ pneu vagabundo filho da p*** deve ter vindo da china também, será que essa bos** tinha que furar logo agora????”. Aborrecido meu pai foi trocar o pneu...

Novamente na estrada, um outro barulho estranho nos perturbou novamente, o Pai chegou a dizer “ parece que tem algo esta sendo arrastado na estrada...”. Após isso ele olhou pelo retrovisor e soltou uma exclamação, logo após todos olharam para trás, havia um monte de faíscas saindo de baixo do carro e antes que alguém pudesse pensar em parar o carro o escapamento caiu... Por azar do destino, estava vindo um caminhão que passou por cima do escapamento com todas as rodas do lado direito e ao chegar na ultima roda do caminhão, o escapamento deu um giro junto com a roda e saiu voando para o meio do mato. Fingimos que nada havia acontecido e continuamos a viagem. Depois disso a merda carro ficou barulhento e soltado fumaça.

Com metade da viagem completada, minha mãe viu uma mancha preta no capo do carro e perguntou “o que é aquilo?”. Essa mancha foi aumentando, aumentando até que o pai gritou “a merda do carro ta pegando fogo!!!” . Paramos (com uma freada brusca) o carro e foi aquela correria para achar o extintor, abrir o capo e apagar fogo. Com a situação sobre controle e o fogo apagado resolvemos empurrar o carro até um posto de gasolina, pelo menos nesse ponto tivemos sorte (aleluia, finalmente tivemos um pouco de sorte), havíamos parado próximo a um posto de gasolina (uns 600m de distancia do posto) e no posto havia um mecânico... olha que sorte não?

O mecânico olhou o carro de cima a baixo e exclamou “ vixe Maria! o bichinho tá todo fudido”. Após mais alguma análise o mecânico disse ao meu pai:

- Óia só! esse carro ta todo colado!!! A pessoa que arrumou esse carro antes fez um charchixo para que o carro só andasse uns quilômetros sem dar problemas...

Ao ouvir isso minha mãe ficou vermelha (ela deve ter pensado: “veio filho da p*** vendeu o carro todo bichado para nós e o burro do meu marido comprou!!”), para ajudar o mecânico disse que ele iria precisar de um dia inteiro para poder arrumar o carro e que não existia peças daquele carro naquele lugar e por causa disso ele iria precisar adaptar algumas peças.

Para resumir o restante da historia lá não havia hotel e por isso tivemos de passar a noite num motel chulé, o quarto que meus pais ficaram até que era bom, mas o quarto que eu e meu irmão ficamos era um caos... Primeiro a gente teve que dividir a cama de casal em um motel, segundo o quarto fedia e terceiro tinha um rato que de vez em quando passava pelo meio do quarto ( apelidamos ele de Fred ).

Já no dia seguinte ao voltar no mecânico ficamos mais assustados do que nos já estávamos, o motor estava igual a um ninho de gato, o mecânico disse que teve que amarrar algumas peças que não estavam encaixando (isso porque ele usou peças do Gol, Opala, Ka e de Chevette), mas ele garantiu que se o carro quebrasse ele devolvia o nosso dinheiro.

E inacreditavelmente era verdade, o carro não deu nenhum problema mecânico. Mas em certo momento o freio não funcionou e meu pai teve que usar o freio de mão e com isso sofremos mais um susto. Em vez de puxar o freio de vagar, o infeliz do meu pai puxou tudo de uma vez só, fazendo com que o carro perdesse o controle, girasse na pista e parasse na contra mão de lado! Como nessa viagem azar nunca era pouco, havia um caminhão vindo em nossa direção, o caminhão guinou para o acostamento na tentativa de desviar de nosso carro, ele pegou de raspão o pára-choque e o arrancou (tanto trabalho para amarrar o pára-choque para nada) , fazendo que o carro desse mais um meio giro na pista. Foi um susto gigante acompanhado de vários gritos e xingamentos por parte de minha mãe. A batida não foi nada grava, nem precisou chamar a policia e o único que se machucou foi o bolso do meu pai que teve que pagar os arranhões no caminhão.

Apesar de tudo, conseguimos chegar na casa de minha avó que estava completamente preocupada com o nosso atraso de um dia.

No dia seguinte meu pai foi ate o ferro velho a cidade e vendeu aquela lata velha, com o dinheiro da venda deu para cobrir alguns prejuízos e comprar uma Brasília que usamos para voltar para casa. Só para avisar a Brasília não quebrou nenhuma vez!!! E para terminar eu queria usar uma frase de minha mãe: “ Nós fomos de carro importado e voltamos de Brasília!!!!”

2leep.com
 
©2009 Historias de minha vida | by TNB