Festival de fim de ano

Todo final de ano em minha escola os professores organizavam um festival comemorativo de fim de ano, nada mais nada menos que uma forma de se vingarem de todas as travessuras que os alunos fizeram durante o ano, já que no festival o que mais se via era aluno pagando mico. Cada professor se responsabilizava por uma sala. Na sexta série tive o azar de pegar a professora “Ziraldina” (esse é mesmo o nome dela), essa professora sempre optava por fazer uma apresentação no palco da escola, naquele ano ela decidiu colocar os alunos vestidos de coelhinhos brancos e cantando canções natalinas...

Cheguei a tentar discutir com a Ziraldina sobre a historia dos coelhinhos brancos, eu tentava o seguinte argumento: “Mas professora! Estamos quase no natal, coelhos brancos não tem nada a ver, a páscoa já passou a meses!!!” . Charopeta como sempre era, ela contra argumentava com o seguinte argumento: “Coelhos tem tudo a ver com o natal, bonitinhos, fofinhos e puros... coelhinhos brancos cantando canções natalinas tem tudo a ver sim!!! Alem do mais, sou eu que decido o que vocês vão fazer...”

Eu até poderia não fazer a apresentação, dar um perdido ou ficar doente no dia do festival de fim de ano, maassssssssss... minhas notas estavam penduradas, faltava alguns pontos para passar e aquela apresentação valia uma nota bônus, uma nota extra que se somaria com as notas dos trabalhos e das provas...

Não apenas eu, mas todos de nossa turma tentaram escapar do vexame publico, mas a irredutível Ziraldina não deu ouvidos a ninguém e continuou com a idéia da apresentação dos coelhinhos brancos. Em seus olhos eu via que aquela apresentação era um tipo de vingança, eu sabia das segundas intenções da professora de nos fazer passar vergonha, provavelmente era uma forma de se vinga da vez que enchemos a sala dela com bombinhas de fedor (a sala dela ficou inabitável por dois dias), ou pela vez que alguém colou chiclete no cabelo dela, ou pela vez que roubaram o gabarito da prova dela, ou pela vez que fizeram caricaturas dela e espalharam por todos os cantos do colégio, ou pela vez...

Não tento escapatória parti ao plano B, esperei ela no estacionamento e implorei por tudo que era mais sagrado no mundo que ela me deixasse no fundo da apresentação, que eu não agüentaria tanta vergonha, que eu morreria de ataque vexaminoso (quando se morre de tanto passar vexame), eu implorei tanto, mas tanto que ela cedeu aos meus argumentos e me prometeu que me colocaria atrás de todo mundo...

Tivemos duas semanas de ensaio, duas semanas decorando coreografia e decorando letras de musicas natalinas como “noite feliz” e “dingo bel”. Nos últimos dias ensaiamos com as nossas fantasias de coelhos, todos ficavam vermelhos de tanta vergonha ao colocar aquela fantasia, quem passava pela janela da sala parava para assistir e ficar tirando sarro, no segundo dia do ensaio com as fantasias tivemos que colocar uma cortina porque em todo ensaio formava uma mini platéia nas janelas da salas.

Enquanto eu entrava em depressão por causa da apresentação, minha mãe mal se continha de tanta ansiedade, ela contava os dias para ver seu filho vestido de coelho e cantando FELIZ NATAL... Todos os dias ela me perguntava como estava indo os ensaios e sempre dizia que havia convidado alguém para ir me ver (-.-‘) , dizia que iria até levar a filmadora e que a apresentação seria linda... (minha mãe sempre arrumava uma maneira de piorar a situação...)

Ultimo dia de ensaio terminava e a professora nos cedeu a fantasia para que a levássemos para casa, para lavar e colocar algum enfeite, caso quisesse. Em casa dei a fantasia para minha mãe apenas lavar, mas ela decidiu colocar uma gravatinha na fantasia, eu logo disse NÃO, e ela SIM, e eu NÃO, e ela SIM, e eu NÃO e ela OU GRAVATINHA OU FICA SEM MESADA!!! Não tive outra escolhe se não optar pela gravatinha... sou um fudido mesmo...

No dia da apresentação acordei mais cedo, tomei banho, arrumei o cabelo e pedi para minha mãe a fantasia, ela fez uma cara de preocupada e me trouxe um pano rosa claro:

- Cade a fantasia mãe?
- Está aqui! (e mostrou a fantasia que se encontrava rosa)
- mas está rosa!!!!! Como vou usar isso?
- Bommm, é que alguém colocou uma camisa vermelha no meio das roupas brancas, daí tudo que estava na maquina ficou manchado de rosa, sua fantasia ficou muito manchada, daíiíiíí, já que não teria como arrumar, lavei a sua fantasia novamente com a camisa vermelha, para ela ficar com uma cor mais uniforme!!!!!! Está vendo que a barriga é branca??? Joguei Quiboa na barriga, daí ficou uma fantasia mais real...
- Mas, mas mas, porque tu não jogou Quiboa em tudo, para deixar tudo branco????
- Porque achei que ficaria melhor assim...
- Quueeeeeeeeeeeeeeee????????
- Ou usa essa fantasia ou não passa de ano muleque...

Fui cabisbaixo para escola, as vezes parava no meio do caminho e olhava para a sacola para ver se aquele estrago era real, estava quase chorando quando tive aquele estalo: “a fantasia está uma merda, a professora não vai me deixar participar da apresentação e vai ter que me dar alguma nota, nem que seja pelo meu esforço, mas ela vai ter que dar, afinal a culpa não foi minha e sim de minha mãe...”.

Fiquei mais contente do que nunca, com aquele sorriso de orelha a orelha fui correndo para escola. Logo que cheguei na escolha, fui direto dar as péssimas noticias a professora...

- Professora veja que tragédia que aconteceu, olha o que minha mãe fez com a minha fantasia...
- Meu Deus!!! (disse a professora com uma cara de susto)
- Não vou poder mais participar da apresentação, agora que a fantasia está estragada...
- Não não não não, senhor João Paulo, a fantasia ficou magnífica, tem até barriguinha... ficou muito linda, o único problema é que tu não pode ficar no fundo se não vai destonar o grupo, tu via ficar na frente como destaque! Pense nisso como um solo...
- Como??? Não professora, não posso, vão rir de mim, vou passar muita vergonha...

Fiquei nessa discussão com ela durante uma meia hora e ela não cedeu, disse que eu teria que participar e teria que ficar na frente.

Meu mundo desabou, entrei em semi desespero e como um boi fiquei esperando a hora do meu abate publico. FFFFUUUUUUUUUUUU...

O pessoal de minha turma se juntou na sala 36 para se preparar, a sala ficava bem perto do palco, dava para ver as outras apresentações pela janela e a gente só sairia de lá quando chegasse a nossa vez (para diminuir o tempo de tortura). De lá pudemos ver a apresentação da turma 8°B, eles iriam se apresentar antes da gente e sua apresentação prometia, nos ensaios tivemos uma breve idéia do que eles iriam fazer.

Eles dançariam uma musica chamada “Explosão Tchacabum” , para você que não conhece essa maledeta musica, só clicar aqui http://www.youtube.com/watch?v=_3a7x9TUWU8 que tu vai ver um vídeo da musica, se tu curtir uma tortura musical, assista até o final. A idéia deles era fazer uma mini explosão atrás do palco na primeira vez que a palavra explosão aparecesse na musica, o ensaio foi muito legal (apesar de odiar axé eu adoro explosões), tiveram duas explosões pequenas, uma no começo e uma no final da musica...

Na apresentação algo saiu errado, da sala 36 nós vimos o pessoal se preparando e começando a musica, no entanto a explosão foi muito maior do que nos ensaios, mas muito maior mesmo, grande o suficiente para colocar fogo no palco, nos dançarinos e em parte da platéia... Ficamos assustados e imóveis, apenas observando toda cena de dentro da sala...

A explosão não matou ninguém mas feriu bastante gente, só matou o festival mesmo, que acabou logo após o acidente, os únicos que ficaram felizes com a situação foi o pessoal da minha turma que se livrou do vexame publico...

No final das contas ganhamos pontos extras pelo nosso esforço, eu ganhei um pouco mais por causa da fantasia tunada pela minha mãe... o suficiente para passar de ano.

2leep.com

Dia de surto


Estava em minha mesa de trabalho tentando trabalhar (olha que legal), o motivo do “tentando” era porque havia um pequeno grupo conversando ao meu lado (muito chato isso). Estava o gerente conversando com os estagiários da empresa, alias... Conversando não, zoando com um dos estagiários que era virgem, zoavam muito o pobre coitado, colocaram 500 apelidos, tentaram explicar de todas as formas como era o ato e suas sensações, como conquistar uma garota... e o gerente, espertão como era, tentou ensinar o estagiário virgem a como perder a virgindade sem precisar de uma mulher...

- CARA!!! Pega uma laranja e faz um furo, depois pegue teu pipiu e coloque no furo da laranja! Tu perde a virgindade rapidinho... ou tu pode fazer melhor, pode usar uma batata que é bem melhor, ou melhor ainda! Uma melancia...

Tentando me concentrar no trabalho e ainda prestando atenção nas baboseiras, eu disse algo sem pensar...

“- Se você faz isso com laranjas, batatas e melancias, não quero imaginar o que tu faz com pepinos e cenouras...”

Todos que estavam em volta riram muito do gerente, mas riram muito mesmo, também foi a única coisa que me lembro daquele dia... já que no outro dia acordei atordoado em uma cama de hospital, com minha mãe com a maior cara de aterrorizada na beira da cama e com uma enfermeira me dando medicamentos...

- Onde estou? Como vim parar aqui??? (perguntei)
- Não lembra de nada né filho? Descanse bastante, depois te contamos o que aconteceu...

Estava literalmente perturbado, perdido, chapado... entre outras coisas... Fiquei sabendo do acontecido depois que sai do hospital e recebi visitas de amigos, companheiros de trabalho e muitos parentes (parente adora ver desgraça...). Vou fazer um resumo dos fatos que me contaram sobre o acontecido daquele dia..

“depois de minha piada infame muita gente riu e tirou onda com o gerente, o mesmo acabou perdendo a cabeça e atirando uma impressora na minha cabeça! O cara praticamente teve um surto psicótico, porque logo após me acertar com a impressora ele tentou esganar o pescoço de um dos estagiários. Dizem que se não o tivessem impedido, ele teria matado o estagiário (não iria fazer falta...), depois do estagiário, ele começou a quebrar tudo a sua frente, mesas, cadeiras, vidros, portas, a mulher do patrão... sim sim, sobrou até para a mulher do patrão que levou uma voadora no peito ( um emoticom expressa bem a minha cara ao ouvir essa narratória ==> O.O´). Não conseguia acreditar no que eu estava ouvindo, só acreditei porque a própria mulher do patrão me contou a historia e mostrou a marca da voadora no peito que ela levou! Mas o gerente não parou por aí, depois de ter sido despedido (afinal ele deu uma voadora na mulher do patrão, na frente do patrão...), ele pirou mais ainda, jogou um armário pela janela (abaixo da janela havia um estacionamento), botou fogo em dois escritórios, tentou matar um o cara da portaria com uma caneta, destruiu dois computadores e fez tudo isso gritando igual a um louco. Ninguém na empresa conseguiu parar o surtado, precisou de 5 policiais com cassetetes e spray de pimenta para parar o surtado...
Escutei as narrativas com aquela cara de assustado e de decepção (afinal perdi todo o barraco), ainda hoje tudo que aconteceu parece irreal para mim, não consigo imaginar uma pessoa surtando por causa de tão pouco, só acredito porque quando eu voltei ao trabalho encontrei o escritório totalmente destruído... ”.

2leep.com

Matei o chat do blog

Olá, olha eu aqui novamente... Você lembra que eu havia colocado um chat no blog??? Pois é, odiei... era pesado e difícil de usar, então eu coloquei uma pequena janelinha de MSN aqui do lado direito...-->

Isso mesmo janelinha do MSN, por ela tu conversa com o autor do blog facilmente, clique em “iniciar conversa” , você pode usar o login do MSN ou entrar como anônimo (depende de sua preferência) e você pode conversar comigo, o autor do blog, podemos trocar experiências e historias.... Claro que isso só irá ocorrer quando estiver on line, então preste atenção no status da janelinha do msn ali do lado...

Pare de perder tempo e venha conversar comigo....

Também fiz um Twitter, não falei que ia invadir o twitter??? Meu Twitter está como “olhandoalua” (sem as aspas) , tentei colocar historias de minha vida mas o twitter não aceita nomes muito grandes, então usei o nick que eu assino as postagens... aproveitem e acompanhem...

https://twitter.com/olhandoalua

2leep.com

Chat no blog

Coloquei um chat no final do blog, alguns de vocês já devem ter visto, quase todos os dias estarei on-line no chat para tentar contato imediato de primeiro grau com os caros leitores desse humilde blog, estarei no chat entre as 19h e 20h, se alguém se interessar é só aparecer e entrar no chat!!!!

Ah, normalmente uso o nick de olhandoalua...

2leep.com

Nova comunidade no orkut

 Agora o blog Historias de Minha Vida tem uma comunidade no orkut, você leitor desse blog  participe da comunidade do blog...

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=105090304


Entre e participe... Em breve invadiremos o twiter...

2leep.com

Sogra aproveitadora


Quando comecei a namorar a Vivi, logo percebi que havia ganhado na loteria, porque a mãe dela (teoricamente a minha sogra) era muito show, um amor de sogra que nos deixava namorar, fazia comidas ótimas, não implicava com nada e isso durou até o dia... que levei as duas no shopping para passear, ver vitrines, tomar sorvete, andar na escada rolante... Todas aquelas coisas chatas que se faz no shopping...

Minha sogra sempre dava umas empacadas nas lojas de sapatos, na ultima loja ela namorou muito um tênis, olhou, olhou, olhou, apontou para o tênis e olhou para mim com aquela cara de pidunxa e disse “preciso tanto desse tênis, estou fazendo ginástica e o meu tênis esta velho e me machucando preciso de um novo...”...

Disse isso de uma forma diferente da comum, com aquele olhar de “SE VOCÊ NÃO ME DER ESSA MERDA DESSE TENIS, EU TRANFORMO A TUA VIDA NUM INFERNO!!!”... Logo percebi que a velha era meio interesseira! Após aquela frase pedunsquexa (frase de gente pedunxa) eu olhei para ela e disse “ Que interessante!!!! ”. Realmente fiquei interessado de dar o tênis para ela, afinal ela era uma ótima sogra e eu queria agrada-la, mas estava sem dinheiro e ainda tinha que comprar um presente de aniversario para a minha namorada... final do mês estou sempre liso...

Fui visitar a minha namorada no dia se seu aniversario, quando cheguei com o pacote de presente, a minha sogra foi quem ficou mais feliz e com os olhinhos mais brilhantes...

- É para mim??? (perguntou a minha sogra)
- Não é o presente de aniversario da Vivi!

Ela logo fechou a cara e ficou rabugenta o dia inteiro. Não apenas por aquele dia, mas a rabugentisse continuou durante os dias que se seguiram, aquela sogra que me cumprimentada com sorrisos e abraços, passou a não olhar mais para a minha cara, não fazia mais comida para a gente e reclamava do nosso relacionamento. Vendo que não tinha escapatória, peguei um empréstimo com um amigo e dei não apenas o tênis mas também uma roupa e agasalho de ginástica.

Ficou hiper contente de ter recebido o presente, me abraçou, me beijou (velha interesseiraaaa), provou a roupa e o tênis e disse:

- Nossa você comprou tudo no tamanho exato, nossa, nenhum genro antes comprou uma roupa no tamanho tão exato quanto essa (uuuuuuiiiiiiiiiiiiiiiiii, pensei comigo mesmo).

Nos dias que se seguiram, voltou ao que era, mimando o jovem casal e mais sorridente. Até que um dia novamente ela fez aquela cara de pedunxa e disse “quero tanto aquele perfume que aquela tal atriz usa...!!!”. Nisso até a Vivi me cutucou, “bem que você poderia dar esse tal perfume para ela né” . A partir daí, comecei a perceber que estava metido em um complô para arrancar mimos de minha pessoa. Até que levei de boa, porque afinal que mulher não é interesseira???? (hi hi hi, piada machista né?)

O tempo foi passando e mais mimos foram disfarçadamente pedidos, quando eu demorava para dar o presente ou fazer o que ela me pedia, aquela velha carrancuda, crica e ranzinza voltava e retornava ao estado de meiguice quando ganhava o presente. Com o tempo presentes não bastavam, eu tinha que cumprir favores domésticos, concertar uma tomada, arrumar um liquidificador, trocar telha...

Teve um feriado que fui bem cedo passar o dia com a Vivi, logo que cheguei minha sogra veio com aquela cara de pidunxa me pedindo para pintar a porta da cozinha. Não tendo escapatória, fui rastejando pintar a maldita porta (e acabei manchando a minha calça novinha...), depois da porta me pediram ajuda para arrastar uns moveis para limpar e para mudar alguns de lugar, depois fui concertar a casa do cachorro...

No final do dia me deparo com a seguinte cena, “eu” no final do dia escancalhado lavando a calçada enquanto as duas tomavam limonada na sombra da varanda... Fiquei de cara comigo mesmo, comecei a pensar se valia a pena todo aquele trabalho pela Vivi, e cheguei a conclusão que não...

Sabia que seria difícil de terminar aquele relacionamento, então apelei!!! Armei uma cena de traição com uma amiga e não deu outra, quando ela viu a suposta traição... ficou simplesmente doida, armou um barraco e me deu um belo de um pé na bunda com direito a lição de moral....

"Posso ter perdido uma namorada, mas elas perderam um empregado!!!!"

2leep.com
 
©2009 Historias de minha vida | by TNB