Festival de fim de ano

Todo final de ano em minha escola os professores organizavam um festival comemorativo de fim de ano, nada mais nada menos que uma forma de se vingarem de todas as travessuras que os alunos fizeram durante o ano, já que no festival o que mais se via era aluno pagando mico. Cada professor se responsabilizava por uma sala. Na sexta série tive o azar de pegar a professora “Ziraldina” (esse é mesmo o nome dela), essa professora sempre optava por fazer uma apresentação no palco da escola, naquele ano ela decidiu colocar os alunos vestidos de coelhinhos brancos e cantando canções natalinas...

Cheguei a tentar discutir com a Ziraldina sobre a historia dos coelhinhos brancos, eu tentava o seguinte argumento: “Mas professora! Estamos quase no natal, coelhos brancos não tem nada a ver, a páscoa já passou a meses!!!” . Charopeta como sempre era, ela contra argumentava com o seguinte argumento: “Coelhos tem tudo a ver com o natal, bonitinhos, fofinhos e puros... coelhinhos brancos cantando canções natalinas tem tudo a ver sim!!! Alem do mais, sou eu que decido o que vocês vão fazer...”

Eu até poderia não fazer a apresentação, dar um perdido ou ficar doente no dia do festival de fim de ano, maassssssssss... minhas notas estavam penduradas, faltava alguns pontos para passar e aquela apresentação valia uma nota bônus, uma nota extra que se somaria com as notas dos trabalhos e das provas...

Não apenas eu, mas todos de nossa turma tentaram escapar do vexame publico, mas a irredutível Ziraldina não deu ouvidos a ninguém e continuou com a idéia da apresentação dos coelhinhos brancos. Em seus olhos eu via que aquela apresentação era um tipo de vingança, eu sabia das segundas intenções da professora de nos fazer passar vergonha, provavelmente era uma forma de se vinga da vez que enchemos a sala dela com bombinhas de fedor (a sala dela ficou inabitável por dois dias), ou pela vez que alguém colou chiclete no cabelo dela, ou pela vez que roubaram o gabarito da prova dela, ou pela vez que fizeram caricaturas dela e espalharam por todos os cantos do colégio, ou pela vez...

Não tento escapatória parti ao plano B, esperei ela no estacionamento e implorei por tudo que era mais sagrado no mundo que ela me deixasse no fundo da apresentação, que eu não agüentaria tanta vergonha, que eu morreria de ataque vexaminoso (quando se morre de tanto passar vexame), eu implorei tanto, mas tanto que ela cedeu aos meus argumentos e me prometeu que me colocaria atrás de todo mundo...

Tivemos duas semanas de ensaio, duas semanas decorando coreografia e decorando letras de musicas natalinas como “noite feliz” e “dingo bel”. Nos últimos dias ensaiamos com as nossas fantasias de coelhos, todos ficavam vermelhos de tanta vergonha ao colocar aquela fantasia, quem passava pela janela da sala parava para assistir e ficar tirando sarro, no segundo dia do ensaio com as fantasias tivemos que colocar uma cortina porque em todo ensaio formava uma mini platéia nas janelas da salas.

Enquanto eu entrava em depressão por causa da apresentação, minha mãe mal se continha de tanta ansiedade, ela contava os dias para ver seu filho vestido de coelho e cantando FELIZ NATAL... Todos os dias ela me perguntava como estava indo os ensaios e sempre dizia que havia convidado alguém para ir me ver (-.-‘) , dizia que iria até levar a filmadora e que a apresentação seria linda... (minha mãe sempre arrumava uma maneira de piorar a situação...)

Ultimo dia de ensaio terminava e a professora nos cedeu a fantasia para que a levássemos para casa, para lavar e colocar algum enfeite, caso quisesse. Em casa dei a fantasia para minha mãe apenas lavar, mas ela decidiu colocar uma gravatinha na fantasia, eu logo disse NÃO, e ela SIM, e eu NÃO, e ela SIM, e eu NÃO e ela OU GRAVATINHA OU FICA SEM MESADA!!! Não tive outra escolhe se não optar pela gravatinha... sou um fudido mesmo...

No dia da apresentação acordei mais cedo, tomei banho, arrumei o cabelo e pedi para minha mãe a fantasia, ela fez uma cara de preocupada e me trouxe um pano rosa claro:

- Cade a fantasia mãe?
- Está aqui! (e mostrou a fantasia que se encontrava rosa)
- mas está rosa!!!!! Como vou usar isso?
- Bommm, é que alguém colocou uma camisa vermelha no meio das roupas brancas, daí tudo que estava na maquina ficou manchado de rosa, sua fantasia ficou muito manchada, daíiíiíí, já que não teria como arrumar, lavei a sua fantasia novamente com a camisa vermelha, para ela ficar com uma cor mais uniforme!!!!!! Está vendo que a barriga é branca??? Joguei Quiboa na barriga, daí ficou uma fantasia mais real...
- Mas, mas mas, porque tu não jogou Quiboa em tudo, para deixar tudo branco????
- Porque achei que ficaria melhor assim...
- Quueeeeeeeeeeeeeeee????????
- Ou usa essa fantasia ou não passa de ano muleque...

Fui cabisbaixo para escola, as vezes parava no meio do caminho e olhava para a sacola para ver se aquele estrago era real, estava quase chorando quando tive aquele estalo: “a fantasia está uma merda, a professora não vai me deixar participar da apresentação e vai ter que me dar alguma nota, nem que seja pelo meu esforço, mas ela vai ter que dar, afinal a culpa não foi minha e sim de minha mãe...”.

Fiquei mais contente do que nunca, com aquele sorriso de orelha a orelha fui correndo para escola. Logo que cheguei na escolha, fui direto dar as péssimas noticias a professora...

- Professora veja que tragédia que aconteceu, olha o que minha mãe fez com a minha fantasia...
- Meu Deus!!! (disse a professora com uma cara de susto)
- Não vou poder mais participar da apresentação, agora que a fantasia está estragada...
- Não não não não, senhor João Paulo, a fantasia ficou magnífica, tem até barriguinha... ficou muito linda, o único problema é que tu não pode ficar no fundo se não vai destonar o grupo, tu via ficar na frente como destaque! Pense nisso como um solo...
- Como??? Não professora, não posso, vão rir de mim, vou passar muita vergonha...

Fiquei nessa discussão com ela durante uma meia hora e ela não cedeu, disse que eu teria que participar e teria que ficar na frente.

Meu mundo desabou, entrei em semi desespero e como um boi fiquei esperando a hora do meu abate publico. FFFFUUUUUUUUUUUU...

O pessoal de minha turma se juntou na sala 36 para se preparar, a sala ficava bem perto do palco, dava para ver as outras apresentações pela janela e a gente só sairia de lá quando chegasse a nossa vez (para diminuir o tempo de tortura). De lá pudemos ver a apresentação da turma 8°B, eles iriam se apresentar antes da gente e sua apresentação prometia, nos ensaios tivemos uma breve idéia do que eles iriam fazer.

Eles dançariam uma musica chamada “Explosão Tchacabum” , para você que não conhece essa maledeta musica, só clicar aqui http://www.youtube.com/watch?v=_3a7x9TUWU8 que tu vai ver um vídeo da musica, se tu curtir uma tortura musical, assista até o final. A idéia deles era fazer uma mini explosão atrás do palco na primeira vez que a palavra explosão aparecesse na musica, o ensaio foi muito legal (apesar de odiar axé eu adoro explosões), tiveram duas explosões pequenas, uma no começo e uma no final da musica...

Na apresentação algo saiu errado, da sala 36 nós vimos o pessoal se preparando e começando a musica, no entanto a explosão foi muito maior do que nos ensaios, mas muito maior mesmo, grande o suficiente para colocar fogo no palco, nos dançarinos e em parte da platéia... Ficamos assustados e imóveis, apenas observando toda cena de dentro da sala...

A explosão não matou ninguém mas feriu bastante gente, só matou o festival mesmo, que acabou logo após o acidente, os únicos que ficaram felizes com a situação foi o pessoal da minha turma que se livrou do vexame publico...

No final das contas ganhamos pontos extras pelo nosso esforço, eu ganhei um pouco mais por causa da fantasia tunada pela minha mãe... o suficiente para passar de ano.

2leep.com

10 Comentarios:

Tamiris Pires disse...

Nossa!Q história hein!!Coelhinho rosa, ainda bem q tu se livrou dessa,pq isso não seria um mico e sim um king kong considerável!O importante é q levou os pontinhos no final né?!!
Rrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs!!!!
http://normalzero.blogspot.com/

Anônimo disse...

Que vexame em...

Hugo de Castro disse...

Kkkkkkkkkkkk's ²

Essa foi phoda!!
Muito dahora!
Cada vez vc se supera mais \Ô/

Rodrigo Rocha disse...

Olá passei para conhecer seu blog muito maneiro, not°10 de excelente conteúdo desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom

Orquidea disse...

Pagava para assistir a uma cena dessas!!! loool. Pretendo estudar ensino básico por isso essa dica é muito fixe caso os miúdos me torturem um dia. loool.
Cumprimentos e espero que possa um dia voltar a pular, feliz, vestido de coelhinho rosa... :)

Tathiana disse...

Caraca, hein! Vc é mt azarado! rs. E sua mãe foi cruel. Eu nunca vestiria meu filho de coelhinho rosa (se fosse branco ainda ia... rs).
Bjs.

• Myla♦YlaViolet ♥ disse...

QUE MERDA VEIIIIIIIII!!
kkkkkkkkkkkk
se fuuuuuu'' rsrs
www.ylaviolet.blogspot.com
(finalmente atualizei)

guuilherme afonso disse...

nossa que historia mais jholl
muito bom esse blog , seguindo :)

equipejdm disse...

Parceria

Olá amigo, venho por meio desta menssagem lhe avisar que seu banner esta em meu blog www.joelhodemendigo.blogspot.com

Aguardo resposta via msn ou e-mail dieguinho6000@hotmail.com... ate mais

Lucas disse...

Nossa essa eu adorei mesmo! Ri muito com a sua nova fantasia com a barriguinha!kkkkk
Valeu ai pela história..

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB