Uma noite no hospital


Então uma vez eu peguei uma infecção brava, eu estava tão mal que tive que me arrastar ate o medico ( quem me conhece sabe que odeio ir ao medico, vou apenas em necessidades extremas ). O medico me fez fica de observação durante a noite, eu ate tentei escapar dali, mas o infeliz do doutor Valdemar me seguiu ate a sala de observação e recomendou as enfermeiras não me deixarem sozinho por nada, ate para ir ao banheiro eu teria que ir acompanhado ( esse medico me conhecia bem, afinal ele é meu medico desde criança, ele se lembra muito bem das vezes que a minha mãe me levava ao hospital e eu fugia pelas portas do fundo).
Ao chegar na sala percebi que não seria uma noite muito fácil ( havia mais algumas pessoas na sala, muitos resmungando ), mas pelo menos a cadeira era confortável e reclinável. Eu tentei dormir mas tinha um bêbado na sala que ficava pedindo para a enfermeira tirar o ponto do soro do braço dele, para que o mesmo pudesse ir embora:
- poxa! Hic!!!! Eu num to duente, não preciso ficar aqui mofando, tira esse negocio do meu braço para eu ir embora...
- primeiro eu tenho que pedir para um medico te reavaliar ( dizia a enfermeira ).
- porra!!!! Eh... um.... bem.... ! “ o que eu ia falar mesmo???”, ah sim, se você não tirar esse tubinho do meu braço, eu mesmo vou tirar.
A enfermeira deixou o bebum falando sozinho e foi atender uma moça. A enfermeira tinha apenas que tirar sangue da moça, no entanto a moça tinha medo de agulha, o que transformou a retirada de sangue virou uma batalha, mas o problema foi logo resolvido ( o que 4 enfermeiras segurado a moça não fazem em???).
Depois de retirar o sangue a enfermeira disse que teria que aplicar uma injeção no bumbum dela, nisso o bêbado se manifestou:
- opa!!! Agora to gostando daqui, hic!!! Deixa eu aplicar a injeção nela, prometo tomar cuidado...
Ninguém deu muita bola para o bêbado, então a moça e a enfermeira entraram num quartinho, quando saíram de lá o bêbado voltou a se manifestar: “ – eita, como eu queria ser uma injeção nessas horas”.
De tanto encher o saco, a enfermeira retirou o soro do bêbado e o liberou para ir embora, cambaleante e soluçante o bêbado foi embora. Quando finalmente achei que iria dormir, chegou uma senhora que não parava de reclamar de dores por todo o corpo, enquanto a enfermeira não veio atendê-la ela não parou de chamar a enfermeira e nem parou de reclamar de dor:
- ai ai ai !!! dói tudo, enfermeira me aplica a injeção logo para parar a dor! Ai meu Deus, acho que vou morrer de tanta dor...
Então a enfermeira veio e aplicou a injeção, 30 segundos depois a senhora já estava dizendo:
- ah mas eu já estou boa, já vou ate embora...
Ela não foi a única a se curar instantaneamente ao tomar um medicamento, com outras pessoas também aconteceu isso, também teve uma mulher que após tomar uma dose alta de morfina não passou a dor. Quando a madrugada chegou e o meu sono também, reclinei a cadeira e tirei um bom cochilo. Acabei acordando com uns gemidos, parecia que alguém estava tendo um orgasmo, “ mas que putaria esta acontecendo aqui???”(pensei comigo mesmo). Abri os olhos e levantei a cabeça e ao olhar para o lado vi uma cena assustadora, tinha um monte de enfermeiras segurando uma moça que parecia ter vindo do filme “ o exorcista ”, ela estava branca, se contorcia toda e temia como uma batedeira, então veio um medico e a levou para um outro lugar. Depois disso eu não consegui mais dormi, então dei uma olhada por toda a sala, e reparei que havia gente nova ali e gente que tinha ido embora, entre eles um baita de um negão que estava variando das idéias. Alem de falar sozinho, o cara via coisas andando nas paredes, mas se fosse apenas isso, tudo bem já eu estou acostumado a lidar com pessoas variando ( acho que eu sou uma das pessoas no mundo que mais viram e conviveram com bêbados no mundo, só perco para donos de bar, donos de zona e putas ), mas o infeliz se levantou e começou a andar por toda a sala, o pobre coitado mal se agüentava em pe, andava passo por passo e a cada passo ele cambaleava e parecia que ia cair ( imagine um negro de 2 m de altura, uns 110 quilos caindo em cima de uma pessoa doente... imaginou ???? pois é, um estrago não???? ), mas para a sorte de todos os pacientes naquela sala, havia ali uma enfermeira muito da dedicada, apesar de ser baixinha ela carregava o grandão e o levava para a cadeira, mas não adiantava, logo depois da enfermeira o fazer sentar ele se levantava de novo, teve uma vez que ele se levantou e foi ao banheiro, com o maior esforço (e com a ajuda da enfermeira) ele achou o banheiro, mas depois ele não conseguia sair de lá, dava para ouvir os resmungos e os passos dele de lá para cá procurando a porta, de novo a enfermeira teve que ir ajudar o homem, ele só saiu de lá porque a enfermeira o ajudou. Depois de ser levantar mais algumas vezes, dar algumas voltas pela sala e se sentar de novo ( quando ele se levantava, todo mundo ficava com receio que ele caísse em cima de alguém, mas quem ficava preocupado mesmo era a enfermeira), então depois de dar umas voltas ele resolveu ir embora, levantou e saiu andando, a enfermeira ate tentou impedir ele, mas faltou alguns centímetros em sua altura para que ela conseguisse fazer isso, logo depois veio um guarda dando a noticia, que o cara tinha tentado roubar uma bicicleta de uma funcionaria, mas o coitado tava tão mal que não conseguia se equilibrar em cima da bicicleta, quando duas funcionarias começaram a gritar ele fugiu a pé mesmo, então a enfermeira falou:
- nossa essa noite foi irreal, nunca passei um plantão assim!!!!

E eu respondi para ela:
- essas coisas sempre acontecem nos lugares que estou

2leep.com

1 Comentarios:

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB