Caca de umbigo

Tive uma pré-aborrecencia bem comum, fiz de quase tudo, o que eu mais gostava de fazer era reunir os amigos na minha casa, agente fazia campeonato de vídeo game, partidas intermináveis de banco imobiliário, montávamos quebra-cabeças, conversávamos e discutíamos sobre tudo, mas a nossa principal fonte de diversão era o concurso de porquisse.
O concurso de porquisse se baseava em quem fazia determinada coisa mais porcamente, tinha o concurso do peido mais fedorento, pum mais barulhento, o chule mais azedo... mas teve uma vez, que decidimos fazer o concurso “porco dos porcos”, ganharia a coroa quem fizesse a coisa mais porca, ao estilo Jackass...(olha que naquela época a coisa mais parecida com Jackass, era as brincadeiras do Serginho Malandro).
O Ronaldo foi quem começou o concurso do “Rei dos porcos”, ele disse que agüentava um peido na cara, a queima roupa e com a boca aberta. Ele fez uma preparação, o Marcos chegou a bunda bem perto da cara dele, quase encostando, e soltou um peito daqueles...
- Eca, eu senti o gosto do pum dele!!! (disse o Ronaldo fazendo cara de nojo)
“todos caíram na maior gargalhada.”
Agente mal agüentava os peidos do Marcos de longe, a queima roupa então, vixiii, tinha que ter coragem.
Um mastigou a meia (que tava meia limpa e sem chule), outro cuspiu para cima e engoliu o cuspe de novo... a cada porquisse agente ficava espantado ou caia na risada. O tio Gogo ouvindo a bagunça foi dar uma conferida naquilo que estávamos fazendo.
O tio Gogo era muito do brincalhão, quando ele viu a brincadeira decidiu entrar. O tio Gogo tinha a “aparência de um tio fanfarrão”, gordinho, com cara de neném, risonho e sempre sorridente, não havia quem não gostasse do tio Gogo.
Tio Gogo pediu silencio e começou a falar:
- Seguinte mulecada (disse em tom de discurso), vou mostrar algo que estou “cultivando” a muito tempo...
Ele ergueu a camisa, deixando a mostra a enorme pança branca, enfiou o dedo no umbigo e catucou, catucou, catucouuuu e catucou mais um pouco, então ele ticou uma massinha amarelada do umbigo que fedia chule, aquele negocio fedia muito, se eu estava longe sentia o cheiro imagine de perto. Mas ele não parou por ai, deopis de mostrar a massinha amarela para todos e de ver a cara de nojo da gente, ele comeu aquele negocio, não teve um que ficasse ali, eu sai correndo direto para o banheiro com enjôo.
Nesse dia o tio Gogo ganhou o nosso titulo de rei dos porcos! E ninguém ousou tentar retirar esse titulo dele...

2leep.com

4 Comentarios:

Anônimo disse...

Ui que coisa nojenta!!!!

Anônimo disse...

eeeeeeeeeeeeeeeeecccaaa

Levi Moreira disse...

é, essa foi realmente nojente. Rs

Anônimo disse...

Noossa que tio gogo noojeento :S eeu heein kkkkkkkkkkkkmaais muuito engraçadokkkkkkkkkkk

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB