vingança


Teve um tempo que eu tive que trabalhar de dia e estudar de noite, para dificultar a minha vida quando eu saia do meu colégio já era muito tarde e o ultimo ônibus da linha que passa perto da minha casa já tinha partido e por isso eu tinha o costume de pegar táxi todos os dias para ir embora, por mais de um ano e meio eu peguei táxi com o seu Almeida, ele era meio ranzinza porem ele era o mais rápido, era o que fazia o menor preço!!!
Um dia indo para o ponto de táxi fui assaltado e fiquei completamente sem dinheiro, assustado e sem dinheiro fui ate do ponto de táxi falar com o seu Almeida para ver se ele me fazia o favor de deixar a viagem afiado:
- oi seu Almeida, eu queria saber se o senhor poderia quebrar um galho para mim? Eu fui assalto e fiquei sem dinheiro nenhum, eu só queria saber se o senhor poderia fazer o favor de me levar e me deixar pagar essa corrida amanha?
- Você quer que eu te leve e daí te deixe lá e você só vai me pagar amanha?
- Isso!!!!
- Nem pensar!!!! Isso ta com cara de roubada!!!!
- Mas seu Almeida faz mais de um anos que eu pego táxi todo dia com o senhor! Alguma vez por acaso eu algo de errado com o senhor?
- Não! Mas sempre tem a primeira vez!!!
Daí sai dali fudido da cara com aquele veio miserável, que tinha acabado de negar um favor para mim! Sem muito para fazer eu fiquei andando pelas redondezas e pensando em uma forma de voltar para casa, depois de uma meia hora dei de cara com um São Bernardo enorme, um dos maiores cães que eu já vi em minha vida, apesar de estar magro e todo judiado ele era muito bonito. Daí eu olhei bem para a cara dele para tentar me lembrar de onde que eu conhecia aquele cachorro, eu sabia que já tinha visto aquela cara em algum lugar mas não sabia aonde. Como num estalo eu acabei me lembrando de um cartas perto da minha escola, de um cachorro desaparecido a mais de um mês e tinha uma recompensa meio gorda para quem tivesse achado o cão. Daí eu tive uma idéia, levei o cachorro para perto da escola onde tinha o cartas, depois de seis quadras arrastando aquele baita cão para perto do cartas, eu comecei a comparar aquele cão com o da foto do cartas, apesar de estar bem mais judiado do que na foto parecia ser o mesmo cão, principalmente porque as manchas nos pelos eram iguais, depois que eu tive certeza que era o mesmo cão eu peguei o cão e o arrastei ate o endereço do cartas, depois de mais onze quadras arrastando aquele baita cão eu finalmente na casa. Toquei a campainha e um homem meio azedo me atendeu:
- pó são mais de duas da madrugada!!!
- Ah desculpa!!! Eh que eu achei o cão do cartas e decidi vir trazer ele logo!
Daí o cara fico um doce na mesma hora, veio ate o portão para ver o cão dele, ele me disse também que a mulher e o filho estavam passando mal pela falta do bendito cachorro e que ambos iriam ficar felizes em ver o cão de volta, depois de agradecer ele me pagou a recompensa (cerca de 300 reais) e fui embora. No caminho eu fiquei pensando numa maneira de me vingar daquele veio filho de uma p*** que não me quis fazer um favor!!! No meio do caminho eu me lembrei de uma piada que um amigo meu me contou e eu percebi que talvez que aquela piada iria resolver a minha situação (bem iria ser algo vergonhoso para mim mas seria mais vergonhoso paro o seu Almeida), daí eu voltei ao ponto de táxi e levei a maior sorte já que o seu Almeida era quase o ultimo da fila... daí eu fui para o primeiro taxista e disse:
- olha se você me levar para casa eu te dou 100 reais e se você me fizer um boquete eu te dou mais 100 reais!!!!
- Sai daqui seu filho da p***, acha que eu sou sua mãe seu vagabundo!!!
- Não fique nervoso tio, se você não quer tudo bem mas eu garanto que o de trás vai querer!!!
Daí eu fui para o táxi de trás e disse para o taxista:
- te dou 100 reais para você me levar embora e mais 100 se no meio do caminho você me fizer uma chupeta!!
- OOOQUEEE!!!( berrou ele ), suma daqui sua bicha ordinária, antes que eu te quebre a cara!!!
- Calma tio! Se o senhor não quiser tudo bem, mas garanto que o de tas vai querer!!!
E fiz isso com todos os taxistas ate que cheguei no seu Almeida e disse!!!
- oi seu Almeida será que o senhor poderia me levar em bora?
- De graça eu não levo ninguém!!!
- Não eu emprestei um dinheirinho de um amigo (daí eu mostrei o dinheiro para ele) para que eu possa ir embora!!!
- Se for assim tudo bem!!!
Daí eu entrei no táxi e logo o seu Almeida saiu do ponto para me levar embora, e enquanto o táxi passava ao lado dos outros táxis do ponto eu abaixei o vidro e dei tchauzinho para todos os taxistas do ponto. (depois desse dia o seu Almeida ficou conhecido como tio chupetinha!)

2leep.com

2 Comentarios:

rick disse...

ae voce me deu uma boa ideira para fazer uma sacanagem com o meu tio, valeu!!!1

Pierre Marie Mouronval Morales disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
 
©2009 Historias de minha vida | by TNB