Colando o professor



O meu melhor professor de geografia foi o professor Ermeson, alem de ser um ótimo professor ele era gente boa porque sempre que alguém precisava de ajuda ou nota ele dava aquela força, mas o que eu mais gostava, era que ele era um professor, que tinha a resposta para qualquer pergunta ou para qualquer gracinha que um aluno mais desavisado pudesse fazer o deixando humilhado. A minha resposta preferida foi quando o professor teve um ataque de tosse na sala e um engraçadinho gritou lá no fundo “PELLOOO”!!! ele quase que na mesma hora respondeu “ É DA SUA IRMà QUE NÃO LARGA DO MEU PÉ”, só que não satisfeito o cara lá no fundo disse “ EU NÃO TENHO IRMÔ o professor quase que sem pensar disse “ PUTZ!!! AXO QUE EU ME ENGANEI, DEVE TER SIDO SUA MÃE ENTAO!!!”. A sala ficou quieta, mas deu um tempo e começaram a tirar com a cara do pobre coitado do fundo.
Um belo dia ele entrou na sala meio estranho, sentou e começou a fazer a chamada mais de vagar do que o de costume, quando chegou na minha vez ele disse:”- cadê esse João Paulo?”, eu sem saber oque tinha acontecido ergui a mão.
- Ahh!!!! então o senhor que é o João Paulo!!!!(disse o professor)
- Sim sou eu!!!!
- Então é você mesmo que estou procurando! Um aluno veio me contar, que o senhor anda me chamando de viado por aí!!
- Mas professor, existem quatro pessoas nesse colégio que se chamam João Paulo, como o senhor sabe que sou eu e não os outros?
- Não me venha com essa desculpa barata!!!! não é mais fácil admitir que você falou!!!
Bem deixei quieto, mas se você já leu a historia do “meu maior mico” você deve se lembrar que não é a primeira vez que eu pago pelas cagadas dos outros João Paulo do colégio, para falar a verdade eu era uns dos poucos que não chamavam aquele professor de viado ou boiola, bicha, de pica-pua, gay, putinha etc...para falar a verdade eu não sei a causa desses rótulos (talvez fosse pelo jeito feminino de falar, ou porque quando ele se apoiava no quadro ele impinava a bunda, ou porque ele tinha o costume de alisar as canetas ou talvez porque ele de vez em quando usava camisa rosa...). Depois desse dia, a minha vida durante a aula dele virou um inferno, ele começou a pegar no meu pé, todas as perguntas eram feitas para mim, era só ele olhar para mim e dizer “senhor João Paulo poderia responder essa indagação para mim” e eu congelava, mas por sorte divina eu sempre respondia corretamente não dando oportunidade para ele tirar com a minha cara ou fazer um comentário (as vezes não é tão ruim ser um cdf). Passou meses desse jeito, ele conseguiu chegar ao ponto de me torrar o saco e me fez tomar umas providencias. A primeira providencia foi dar uma contra resposta para os alunos do fundo para as respostas do professor, e desde desse dia a brincadeira do pelo ficou assim:
- cof cof cof ( o professor tossia )
- PPEELLOOO ( alguém gritava)
- Da sua irmã que não larga do meu pé ( respondia o professor)
- Eu não tenho irmã (respondia o aluno malvado do fundo)
- Então devo ter me enganado deve ter sido sua mãe ( contra respondia o professor )
- Minha mãe é toda depilada, o peludo lá em casa é meu pai ( dava a resposta final o aluno )
O professor ficava muito bravo mas não falava nada! depois eu invadi o colégio a noite e fiz uma caricatura dele no muro com um texto explicativo “só não queima mais a rosca por falta de tempo!”, no outro dia eu entrei na radio do colégio no intervalo e coloquei o minha musica em ritmo de marchinha carnavalesca para todos ouvirem “ Emerson é um viado OLE OLE OLA – quando eu sinto cheiro de queimado OLE OLE OLA – eu Ermeson queimou a roscaaa OLE OLE OLA”, eu a cabei fazendo mais algumas coisas, mas a perola foi quando eu comprei uns vidros de super-bonde, esperei ele vir com uma calça de couro (que as vezes ele usava), pedi para uns amigos meus detraírem ele, enchi a cadeira dele de super cola, ele voltou sentou e quando tentou levantar a cadeira veio com ele, daí ele ficou todo encurvado com aquela cadeira colada na bunda ele tentou tirar a cadeira mas não conseguiu, depois ele começou a dar uns pulinhos para ver se ajudava mas nada, depois ele saiu andando para pedir ajuda mas ele andava igual a minha avó(torta e lenta), mas depois de uns cinco passos ele caiu e ficou de quatro, daí ele tentou andar de novo só que agora ele não parecia com a minha avó e sim com um tartaruga, a diretora que passava por perto ouviu as risadas dos alunos e foi ver oque tinha acontecido, quando ela entrou a sala ela não se agüentou e entrou na gargalhada, quando ela se acalmou ela foi chamou os inspetores e o guarda do colégio e carregaram o professor para a diretoria, depois a gente não viu mais ele mais outros alunos que não eram de nossa sala disseram ter visto o professor indo de cueca para seu carro!!!

2leep.com

0 Comentarios:

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB