Dominando a fera (A historia de maria cavetão)


Maria Cavetão, era uma moça que estudou no meu colégio por um tempo, nesse tempo que ela fico no colégio (por volta de dois anos), ela foi o motivo de muitos causos que aconteceram naquele colégio e também ela foi o motivo principal de muitas rodas de conversa tanto de meninos quanto de meninas. Alem de ser a mais velha do colégio (23 aninhos) ela também era considerada a mais bonita do colégio, por onde ela passava a mulecada ficava babando, porem não era apenas os muleques que admiravam a beleza dela, ela era tão bonita que ate mesmo as outras moças do colégio a elogiavam (coisa muito difícil de acontecer entre mulheres!!!). No entanto, tanta beleza assim tinha que ter um defeito, e o defeito dela era o “gênio forte” que ela tinha, ela não tinha apenas a aparência de mal( cabelos negros, olhos penetrante, jaqueta de couro e botas pretas), ela era mal mesmo, tanto que ela ganhou esse sobre nome “Cavetão”, esse apelido foi dado por ela andar sempre com um baita canivete no bolso. Ela sempre usou o canivete nos meninos que se meteram a besta de darem em cima dela, e ela só poupava aqueles que ela ia com a cara ou que ela gostasse da cantada, no entanto quando ela não gostava da cantada ou que ela achava o cara um Zé-roela (o que quase sempre acontecia) ela tacava a porrada em cima do cara, oque era muito fácil já que ela era faixa preta no caratê, sabia muito bem judô e tava treinando boxe, e se por algum acaso o cara continuasse insistindo ou abusasse da sorte passando a mão nela, ela acabava usando o canivetão no cara, quando ela tirava o canivete para fora uns sempre saiam correndo, outro ficavam e saiam furados ou arranhados e teve um que foi até capado (quem mando chamar a fera de piranha, neh?)!!!
Quando eu ouvi a lenda da Maria Cavetão pela primeira vez eu não acreditei muito não, sempre diziam para mim que “se ela gostasse da cantada que um garoto aplicava nela, ela arrancava os documentos do cara com o canivete” e eu nunca acreditei ate o dia que eu via ela batendo num cara e no outro ela cortando outro rapas com o canivete. Por ter o receio de perder os meus badalos e por outros motivos eu não ousava olhar para ela ou muito menos chegar perto dela, eu me acostumei a ficar na minha, também eu era o único a seguir essa linha de raciocínio, apesar do perigo uns eram tão aficionados na mulher, que se arriscavam para tentar uma chance com ela, mas nenhum nunca conseguiu.
Um belo dia estava eu conversando com uns colegas de sala, quando a Maria Cavetão passou ao nosso lado olhando para nos, quando ela chegou mais perto eu notei que ela tava olhando não para o grupo e sim para mim, no mesmo estante eu congelei e não consegui me mexer, depois que ela passou um daqueles que estavam no grupo disse: “- cara você viu? A Maria Cavetão tava olhando para mim!!!” e logo outro respondeu “- que para você nada, ela tava olhando era para mim mesmo! Ou você acha que ela vai olhar para uma lumbriga desmunguelada como você?”, e assim começou uma disputa para decidir a pessoa que a Maria tava olhando, o único que ficou fora dessa disputa fui eu, torcendo para que estivesse enganado. No outro dia eu estava andando por um dos corredores do colégio bem tranqüilo, quando eu avisto a Maria vindo na minha frente, como ela tava vindo pelo lado direito, eu fui para o lado esquerdo, nesse momento ela também foi para o lado esquerdo, daí eu fui para a direita e ela foi para a direita também, por fim acabei dando de cara com ela, fuça com fuça, mesmo que eu tentasse desviar para passar pelo corredor, ela me acabava me cercando, caçado de tentar desviar dela, parei no meio do corredor, na frente dela olhei para os olhos dela e pensei: “bom eu passo por ela forçado e corro o risco de ser capado ou eu dou a meia volta e saio ileso? Afinal eu sou um homem ou um cagão??? Bom é melhor se um capado inteiro do que um homem sem um pedaço, e também tecnicamente se eu perder esse pedaço eu vou deixar de ser um homem inteiro!!!”, depois de pensar logicamente, eu dei uma ultima olhada nos olhos dela, dei meia volta e voltei por onde eu tinha vindo, porem mais tarde, quando estava comendo um lanche na cantina do colégio, eu me assusto ao ver a Maria se sentar ao meu lado no balcão, por um tempo fiquei acompanhando oque ela fazia pelo reflexo do espelho que cobria grande parte da parede de toda a cantina (essa idéia de colocar espelho por todo lado no colégio foi idéia do fresco do diretor Fred, ele dizia que era para trazer boas energias para os alunos, mas ele logo mudou de idéia quando em uma briga entre vários alunos, um deles decidiu quebrar o espelho e o transformar em arma, mas essa já é uma outra historia que um outro dia eu conto!!!), no começo pensei que ela estava ali só para comer mesmo, no entanto numa distração minha ela pegou e enfiou o dedo inteiro no meu sanduíche e falou para mim “come agora!!”, resolvi ficar quieto, paguei a tia da cantina e antes de poder sair dali, Maria me chamou com um “pisiu”, olhei para ela e vi ela tirando o canivete do bolso, o abriu e mostrou ele para mim, fiquei paralisado me cagando de medo mesmo, mas continuei olhando para ela, daí ela deu um sorriso de canto e para meu desespero ela trouxe o canivete bem devagar para perto de mim e o passou perto de meu pescoço, tão perto que deu ate para sentir o frio do aço em minha pele. Depois que cheguei em casa e fui ao meu quarto e passei a noite inteira pensando o que eu tinha feito para deixar a mulher nervosa, e por mais que pensasse, eu não encontrava nenhum motivo para eu ter enraivado a fera.
Você deve estar se perguntado “bate nos colegas ,entra no colégio armada e fere os alunos e mesmo assim ela nunca foi expulsa??? Ou banida do colégio???” bem vou responder sua curiosidade com apenas três palavras “ filha do diretor”!!! e por ser filha do diretor, ela recebeu no Maximo uma suspensão de dois dias, e por ser filha do diretor ela não tinha receio de fazer tudo aquilo que ela fazia, e por incrível que pareça o pai dela apoiava ela!
No estilo gato e rato, foi passando o tempo e a minha paciência, por mais que eu tentasse ficar longe dela ela sempre aparecia nos lugares que eu estava, e sempre arranjando um jeito de me irritar, no começo eu ate aturava e ficava quieto, mas depois que eu comecei a ficar irritado eu dei um “danesse” para a idéia de perder os meus bagos e comecei a encarar ela. Quando ela me cercava no corredor eu ia em frete, dava uma trombada nela e continuava o meu caminho e se ela enfiasse o dedo na minha comida eu dada um “danesse” para a higiene e continuava comendo etc...
Ate o dia que na cantina, ela se sentou no meu lado e começou a brincar com o canivete, por varias vezes ela passou aquela porcaria perto de mim, e quando ela ameaçou coloca-lo perto do meu pescoço, agarrei o braço dela, levantei e olhei bem na cara dela e disse: “- na próxima vez que você mostrar essa porcaria para mim, eu vou toma-la de você e enfiar na sua b****”. Ela me olhou com uma cara de brava (nessa hora cheguei a pensar que era o meu fim!!!) e disse “fico nervoso gatinho???”, e antes que eu pudesse dar o fora dali, ela me arrastou para um canto e começou a conversar comigo:
- qual é a sua, em gatinho?
- Como é?
- Você é o único nesse colégio que não fica babando por mim, você é o único que não me olha quando eu passo por perto, você não me da nenhuma cantada...
- E porque eu deveria babar por você???
- Por algum acaso você é gay?
- Gay não!!! Apenas odeio mulher egoísta e que se acha de mais!!!
Apesar de não estar aparentando, eu tava mesmo era me borrando de medo dela, já que nunca se pode prever os pensamentos de uma pessoa lesada da cabeça!!! No entanto eu não estava pronto para ouvir, aquilo que ela estava próxima a dizer. Depois de um tempo em silencio ela me olhou e disse “fica comigo gatinho!!!”, me surpreendi a ouvir aquilo, já que única coisa que eu pensava ate aquele momento era que ela tava afim de me matar, mas depois que eu em dei por mim, dois pensamentos invadiram a minha cabeça: “digo não para ela e saio correndo para longe dela e ganho fama de bunda mol, no entanto fico ileso ou digo sim, mostro a minha namorada nova para uns caras que eu não gosto, só para que eu possa me fazer de fodão para eles, e corro um grande risco de ser capado no futuro”. Depois de pensar racionalmente eu decidi encarar o risco de ficar com ela ( eu não iria perder essa oportunidade de me perfazer diante uns babacas por nada, mesmo que isso me custasse o meu bingolim ), mas antes de confirmar qualquer coisa eu decidi fazer um charminho:
- bom me deixa pesar um pouco... loca, arrogante, barraqueira, se acha e vive com um canivete no bolso, para o enfiar em qualquer pessoa em qualquer momento... bem eu acho não!!!
- Se preocupa não(disse ela) eu mudo as minhas atitudes e jogo o meu canivete fora!!!
Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, ela me agarrou e me deu um beijo daqueles de cinema. Esse ultimo causo aconteceu na sexta feira, daí marquei de ver ela já no sábado, daí no sábado depois de muito conversar com ela, acabei descobrindo que ela era muito gente boa, aquilo tudo era mesmo apenas pose e que por debaixo de toda aquela fama, ela era apenas uma mulher comum. Gostei tanto da experiência que marquei de vê-la no dia seguinte. Na semana seguinte, quando eu fui a aula, praticamente eu fui recebido como um rei pela mulecada do colégio (coisa que nunca avia acontecido, eu já fui recebido de varias formas “com tomate, vaias, pontapés, ódio, revolta, pedradas...” porem nunca com admiração), essa admiração toda não era apenas por eu esta namorando uma mulher mais velha, o maior motivo de tanto alvoroço era mesmo por eu estar junto com a lendária e intocável “Maria cavetão”, por um tempo eu fiquei me achando o tal, mas depois de um tempo ( que demorou a passar ) eu voltei ao meu normal, e sempre que me perguntavam como eu consegui domar a fera, eu sempre respondia “ charme natural e um pouco de porrada!”(claro que eu não ia contar a historia real e sem graça, sendo que ate mesmo a Maria apoiava contava essa versão distorcida que eu inventei), mas o melhor mesmo foi ver a cara de burro com prisão de ventre que algumas pessoas, que viviam tirando sarro de mim, ficaram ao me ver com a lendária Maria Cavetão.

2leep.com

2 Comentarios:

Camiseta Personalizada disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso.(If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada.If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

Anônimo disse...

Eu queria agradecer por esta leitura agradável ! Eu definitivamente se divertindo com cada pouco de que eu tenho você marcadas para dar uma olhada em coisas novas que você publica

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB