O capeta em forma de guri


Quando eu era criança eu era um pouco arteiro, a minha mãe falava que eu fazia mais macacada que um macaco, sinceramente eu nunca concordei com isso, mas minha mãe, meu pai, meu irmão, meus vizinhos, meus avos, meus tios, primos, amigos... todos concordavam com a minha mãe.
Um dia uma de nossas vizinha teve a grande idéia de dar um conselho para a minha mãe, minha mãe adorou a idéia e dois dias depois ela me colocou como garçonzinho de padre (conhecido também como coroinha) na igreja. Eu não queria ser garçonzinho de padre, não tinha gostado da idéia, mas a minha mãe me levava para a igreja de qualquer jeito, muitas vezes ela me arrastava pelas orelhas (sim pelas “orelhas” ela não segurava em apenas uma e sim em ambas, tudo para que eu não escapasse), ela e meu pai tinham esperança de que eu fosse iluminado e de um dia para o outro eu aquietasse ou que talvez o padre Zelnolino conseguisse dar um jeito em mim.
O padre Zelnolino foi muito paciente comigo, durante algumas semanas ele foi muito bonzinho comigo, mas depois de dois meses ele me apelidou de “capeta em forma de guri”!!! Eu não sei porque eu ganhei esse apelido, talvez tenha sido por causa dia que entrei com o incenso na igreja, tinha começado a missa e o padre estava entrando na paróquia, eu estava logo atrás do padre balançando aquele treco de incenço, como eu mesmo dizia “estava defumando as pessoas”, mas eu notei que só as pessoas da beira dos bancos eram defumadas, então eu decidi girar panelinha para ver se a fumaça iria chegar no fim das fileiras, ao girar a panelinha a fumaça realmente ia mais para o fundo mas não o suficiente para chegar ate o fim das fileiras, então decidi girar mais rápido e girei tão rápido que a panelinha fugiu de minha mão e sobrevoou um par de bancos espalhando o incenso em brasa por cima das pessoas, nada de mal aconteceu, claro que teve a panela que caiu na cabeça de um senhor, de varias pessoas terem saídos com as roupas com pequenos furos na roupa causados pelo incenso em brasa e de uma moça que teve o cabelo incendiado por uma pedrinha de incenso, nada de grave aconteceu. Também teve a vez que eu e outro coroinha estávamos limpando a paróquia, quando nos deu fome e a única coisa que tinha para comer na igreja eram as hóstias, e foi o que fizemos, porem as hóstias nos deram uma sede danada, fuçando em baixo do altar nos achamos uma garrafa de suco de uva, só que havia um pequeno problema, aquilo não era suco de uva e sim vinho, resultado, quando o padre chegou ele encontrou dois de seus coroinhas bêbados e comendo hóstias em cima do altar. Também teve as vezes que eu ia ate a igreja de madrugada e tocava os sinos freneticamente ate acordar todo mundo da cidade, logo depois eu saia correndo pelos fundo da igreja e me escondia no terreno baldio.
Teve outros causos como a vez que eu explodi a cozinha da igreja, ou da vez que eu “peguei emprestado” alguns trocados da arrecadação da igreja, ou quando no meio da missa eu ficava dando estrelinha atrás do padre, ou quando eu pegava o microfone antes de começar a missa e contava umas piadas, ou da vez... bom e etc... ate hoje eu não achei nenhum motivo plausível para esse apelido!!! Mas eu ate gostei do apelido e me alto denominei de capeta da igreja da santa recebedora de raios!!!
Santa recebedora de raios era como eu chamava a igreja, isso porque no alto da igreja tinha uma razoável cruz de bronze que em dias de tempestade atraias varios raios, vira e mexe um raio acertava a cruz, também vira e meche a igreja pegava fogo por causa dos raios que acertavam a igreja e de tanto pegar fogo a o teto da igreja estava quase caindo. O padre estava a alguns anos arrecadando dinheiro para a construção de uma nova igreja, ele já tinha juntado o dinheiro mas as pessoas não queriam demolir a igrejinha antiga.
Então um dia eu e outro coroinha ficamos de castigo (por ter feito careta na hora da missa atrás do padre) limpando a igreja sozinhos durante a noite, nesse dia estava tendo uma tempestade com muitos raios, sinceramente eu estava me borrando de medo de ficar ali de noite e com aquela chuva, mas se eu não limpasse a igreja direitinho o padre iria usar a palmatória (ele não tinha o costume de usar a palmatória, ele a usava apenas comigo). Teve uma hora que ouvimos um estrondo enorme, esse estrondo era de um raio que tinha acabado de cair na cruz da igreja, apesar de tudo ficamos aliviados porque sabíamos que raramente caia dois raios no mesmo dia, porem um tempo depois um outro raio caiu na igreja, mas esse raio era muito mais forte que o primeiro, a lenda diz que foi o raio mais forte que já caiu sobre aquela igrejinha, ele foi tão forte que clareou tudo, tremeu a igreja ao ponto de fazer os pedaços do teto começarem a cair, igreja toda estava desabando e para ajudar uma parte do teto podre começou a pegar fogo, logo a igreja estaria repleta em chamas, porem antes de sair, eu e o outro coroinha decidimos salvar todo que pudéssemos carregar (tínhamos um forte precentimento que aquela igreja não iria resistir aquele incêndio o fogo estava se espalhando muito rápido). A primeira coisa que a gente salvo era o baú onde o padre guardava o dinheiro para a nova paróquia, depois pegamos algumas imagens sacras e saímos correndo dali e nos escondemos na casa da arvore que ficava num terreno no final da rua da igreja. Da casa da arvore a gente viu o fogo consumir e destruir a igrejinha, eu e o outro coroinha demoramos um minuto e pouco para pegar o que dava para pegar e sair dali, em três minutos a igreja estava repleta de chamas, em cinco ou sete minutos a igreja desmorono. O mais interessante foi que dois raios caíram na igreja, a igreja pegou fogo e desabou e ninguém alem dos coroinhas percebeu o que havia acontecido. Eu e o outro coroinha ficamos a noite acordados vendo a igreja virar pó, quando o fogo terminou ainda estava chovendo, daí eu e o outro coroinha fomos ate a oque havia sobrado da igrejinha para ver se ainda dava para salvar mais alguma coisa, mas estava muito escuro e não deu para achar nada. Passamos um tempo ali andando e vendo o grande estrago causado pelo fogo quando eu tive uma idéia, talvez uma das idéias mais loucas que eu já tive:
- Em você quer fazer um milagre acontece? (perguntei ao outro coroinha)
- E da para fazer um milagre acontecer?
- Claro que da!!!
Daí eu expliquei o meu plano ao outro coroinha, ele por sua vez adorou a idéia. Então voltamos ate a casa da arvore, pegamos as imagens e colocamos dentro do baú de dinheiro, daí nos levamos o baú ate os escombros e procuramos um lugar para se esconder, daí o outro coroinha encontrou um vão que dava acesso para debaixo dos escombros, então nos entramos por aquele vão e arrastamos o baú junto com a gente e ali ficamos quietinhos.
Quando era mais ou menos quatro da manha um bêbado que voltava da zona viu a igreja detonada e começou a gritar pelas casas que rodeavam a igreja:
- o capeta destruiu a igreja, ele acabou com a nossa igrejinha, ele taco fogo e a demoliu, esse é um sinal do fim do mundo...
Então algumas pessoas saíram de suas casas, não porque acreditaram que a igreja tinha sido destruída, mas sim para mandar o bêbado ir se f***, mas logo que saíam de suas casas as pessoas viam a igreja demolida e iam chamar toda a família para ver aquilo, depois que eles acordavam a família eles iam acordar os vizinhos. E assim a noticia se espalho como rastro de pólvora, cinco minutos depois que o bêbado começou a gritar o padre chegou:
- ai meu Deus! Ontem de noite haviam dois garotos limpando a igreja, eles devem estar ai de baixo.
Foi aquele corre corre de quem estava ali para tirar os escombros. Daí logo minha mãe chegou e começou a gritar desesperada, já meu pai se manteve e foi ajudar a retirar os escombros, enquanto minha mãe gritava o bêbado falava para ela:
- Se o seu filho tava ai, ele pereceu!!! Ta nos infernos agora!!!
- Cale a sua boca (gritou a minha mãe). Meu filho é esperto, ele saiu antes de tudo cai!!!
- Ele não é esperto, ele era esperto, não se esqueça que ele morreu, ta no inferno jogando truco com o capeta!!!
Minha mãe não se seguro e partiu para porrada com o bêbado, o e o bêbado apanho, apanho feio em. Enquanto tudo isso acontecia eu e o outro coroinha tirávamos o maior ronco lá de baixo dos escombros (você não sabe o quanto que e itediante ficar esperando socorro), só acordei quando eles nos acharam, nunca vi meu pai e minha mãe tão felizes ao me verem, depois de fazerem uma festa eles me levaram para o hospital, todos ficaram surpresos ao saberem que eu e o outro coroinha não tínhamos sofrido nenhum arranhão. Depois de são e salvos foi hora de contar oque havia acontecido, daí eu contei oque eu tinha combinado com o outro coroinha, a gente conto para todo mundo que um bicho enorme, vermelho, chifrudo, que tinha corpo de gente e cabeça de boi apareceu na igreja e a queria destruí-lá mas eu e o outro coroinha tentamos impedi-lo, mas daí um grande clarão apareceu e a igreja começou a pegar fogo e a desabar, daí a gente tentou ir salvar o dinheiro que o padre juntou durante anos, mas quando pegamos o baú e estávamos saindo a igreja toda desmorono, mas antes do teto cai um anjo apareceu e nos protegeu e a gente não lembrava mais de nada apartir daí. Foi um alvoroço, por meses o povo e os jornais só falavam dos coroinhas que enfrentaram o demo e saíram vivos, para falar a verdade ate hoje se conta essa historia em minha cidade!!!!

2leep.com

4 Comentarios:

Anônimo disse...

que de mais, kkkkkkkkkkkk

Ru Correa disse...

auhauhauhauhauhauha
Eu adoro suas histórias, faz tempo que leio, mas nunca havia comentado. Parabéns!
Passe lá pelo meu blgo, tem umas coisas podres...
http://ru-otherside.blogspot.com/

Inté!!

Anônimo disse...

[B]NZBsRus.com[/B]
Escape Laggin Downloads With NZB Files You Can Hastily Search High Quality Movies, Games, MP3 Singles, Applications & Download Them at Dashing Rates

[URL=http://www.nzbsrus.com][B]Usenet[/B][/URL]

Anônimo disse...

Mto foda sua história , parabéns viiu Beijão
_Gezii@

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB