O vizinho macumbeiro


Quando você mora em condomínio, você vê muitos vizinhos irem e outros virem, a sempre alguém se mudando do condomínio. Havia um apartamento vizinho ao meu, que o dono o alugava, o dono desse apartamento tinha vários imóveis alugados pela cidade e era da renda dos imóveis alugados que ele vivia.
Nunca parava gente naquele apartamento, todo ano eu tinha um vizinho novo, um desses vizinhos que eu tive foi um negão bem gordo e alto que era macumbeiro, ele era conhecido como Zuribunfi, esse cara teve a manha de transformar o apartamento dele em um terreno de macumba. Eu no começo eu ate achei a idéia de ter um vizinho macumbeiro morando ao meu lado uma coisa legal, mas com o passar do tempo eu mudei completamente de idéia e comecei a odiar ter um vizinho macumbeiro, não que eu tenha algo contra ele ser macumbeiro, ou algo contra a religião e as crenças dele, modéstia parte eu nunca tive preconceito contra ninguém, eu me dava bem com todo mundo, eu era amigos de negros a brancos, de macumbeiros ate os evangélicos perturbados. O problema desse vizinho era o barulho que ele fazia nas madrugadas, tinha vezes que era os batuques dos tambores, outras vezes era quando ele falava em voz alta o suficiente para eu ouvir tudo certinho do que ele falava, era mais ou menos isso que eu escutava “- ooo misifim, vamo leva essa alma perdida para alem do mundo dos mistérios, vamo acaba com a capetagem que esse espírito endemoniado esta causando na vida miserável dessa pessoa que esta conosco hoje”, outras vezes era os rituais para os maridos puladores de cerca “- vamo chama o espírito do Jabum para embroxa o marido galinha dessa perdida, ele veio nos procura com dor de corno causado pelo marido galinha dela, agora nois vai da um jeito nisso,vamo faze um trabalho para o marido dessa mulher perdida, apartir de hoje ele só vai levanta para ela, e com outras ele vai embroxa e não vai levanta nem com reza da brava”. Havia algumas noites que eu acordava com o Ziribunfi sacrificando cachorros, dava para ouvir os grunidos dos bichinhos sendo sacrificados de longe, tinha mais umas coisas que aconteciam que eram muito estranhas, como quando o Zuribunfi fazias umas reza tão brava que tremia o apartamento, ou das vezes que a gente sabia que ele estava sozinho e mesmo assim ouvíamos ele e outras pessoas discutindo dentro do apartamento dele.
Eu não era a única pessoa que acabava acordando de noite com os barulhos vindos de lá, outros vizinhos também acordavam e ouviam oque acontecia lá dentro do apartamento. Eu fui o primeiro a ir falar com o Zuribunfi, fui na paz e ele me recebeu na paz.
- Oi tudo bem, eu sou seu vizinho do daqui do lado e queria saber se o senhor teria um tempinho para falar comigo.
- Tenho sim criança, pode falar.
- Na verdade eu queria fazer um pedido, eu só vim te pedir para fazer um pouco menos de barulho de noite, muitas vezes eu acordo com os barulhos dos tambores e com os gritos dos cachorros e isso ta me prejudicando na escola.
- Ah criança, Zuribunfi pede desculpas, não sabia que o barulho tava tão alto, Zuribunfi promete fazer menos barulho possível de noite...
Agradeci a atenção dele e fui embora, mas esse papo não adiantou muito, ele continuou fazendo barulho e para ajudar ele começou a sacrificar gatos, daí a vizinhança perdeu a paciência e foi reclamar para a sindica que por algum acaso também era a minha mãe, daí ela foi obrigada a ir falar com o Zuribunfi (obrigada mesmo, já que ela morria de medo de tudo que envolvia macumba). Ela foi falar uma, duas e três vezes com o homi, mas isso não adiantou em nada, então ela começou a mandar advertências para ele e depois multas que de nada adiantaram, quando teve a reunião de condomínio, ela e alguns moradores quase saíram na porrada com o Zuribunfi, ela que já estava com birra do homi fico com raiva após ele ter a chamado de “cadela rabuda adestrada”. Daí o condomínio viro um puteiro de tanta bagunça que surgiu ali, teve uns crentes que foram ate a frente do apartamento do Zuribunfi e começaram a orar na frente do apartamento do Zuribunfi, daí ele saiu para fora e começou a brigar com os crentes, quando ele ameaçou jogar uma praga todos saíram correndo dali e apenas uma mulher fico ali encarando ele, daí ele rogou uma praga nela, ele disse que no dia seguinte ela iria quebra a perna, e por mais estranho no dia seguinte ela quebrou a perna mesmo. Daí ele começou a ameaçar a minha mãe que iria fazer uma macumba brava para ela se a mesma, não parasse de mandar multas para ele, no inicio ela se cago toda de medo, mas mesmo cagada ela continuou mandando multas pelo excesso de barulho, ele continuou a receber as multas e a minha mãe começou a receber uns presentinhos dele, o primeiro foi um sapo gigante morto e com a boca amarrada que apareceu na porta de nossa casa.
- Socorro João!!! (gritou o minha mãe ao abrir a porta e achar o sapo)
Quando eu vi o sapo eu fiquei puto da cara, então peguei o sapo (com a mão mesmo) e fui ate o apartamento do Zuribunfi para tirar satisfações.
- Foi você que deixou esse sapo na porta do meu apartamento? (eu perguntei a ele)
- Foi eu sim, por que?
- Por algum acaso isso não foi para a minha mãe?
- Foi sim, isso e um feitiço para ela sofrer um acidente grave!!!
- Seguinte eu tava sendo muito educado e paciente ate agora, mas se mexe com a minha mãe você mexe comigo, se você continua fazendo essas porcarias para assusta a minha mãe tu vai vir o que eh bom para tosse...
- Não vou para, e só por esse seu atrevimento eu vou fazer um feitiço para a tua mãe virar quenga.
- Ah tah sei, entendi!! você quer deixar a minha mãe igual a sua!!!
Daí ele ficou roxo de raiva e rogou uma praga em mim.
- Amanha você vai levar um tombo e vai rachar a cabeça ao meio...
Deixei ele falando sozinho e voltei para casa, quando eu contei a historia para a minha mãe ela ficou aterrorizada e quis me impedir ate de ir para a escola, mas eu disse para ela que nada daquilo iria acontecer comigo, que eu era maior que aquele tipo de macumba barata. Eu estava certo mesmo, não quebrei a cabeça ao meio e para me vingar, eu votei ao apartamento do macumbeiro e mostrei a minha cabeça para ele “- olha só macumbeiro de araque, eu não quebrei a cabeça, você é fraquinho pra caramba!”, ele voltou a jogar uma praga em mim, mas no outro dia eu voltei e mostrei para ele que não tinha dado certo a macumba que ele jogou em mim. Depois disso, a briga virou uma caça de gato e rato, ele jogava uma praga em mim e no dia seguinte eu mostrava para ele que a praga não tinha dado certo, quando a gente se crusava na rua, eu mostrava para ele que não tinha acontecido nada comigo e ele retornava a jogar uma praga pior em mim.
Uma noite eu acordei com ele preparando uma macumba brava para mim, primeiro ele gritou “ esse garoto tem o corpo muito fechado, nem reza brava ultrapassa o escudo dele, então eu te pesso (daí ele falou um nome estranho) que tu mate aquele garoto para que eu possa mostrar o meu porder, em troca eu ofereço a vida desse miserável animal ( daí eu ouvi um cachorro grunhindo e depois gritando), mate ele para mim, que eu ficarei eternamente agradecido!!!”.
Isso foi o cumulo, então eu decidi que no outro dia eu que iria rogar uma praga para ele. Estava passando na rua e o vi andando no outro lado, então passei a rua e cruzei com ele e como o de costume eu mostrei que a praga dele não tinha funcionado, daí antes que ele pudesse jogar outra praga eu falei para ele:
- Se você pensa que é o único macumbeiro aqui, tu esta esganado, eu não queria revelar mas depois que o meu protetor me avisou que tu esta fazendo trabalhos para a minha morte eu resolvi me manisfestar, eu também possuo o dom da magia e da comunicação com os mortos, eu sou um macumbeiro muito mais poderoso que você possa imaginar!!!
- Há há há há há!!! Não me faça rir, há há há há há!!!
- Se você não quer acreditar muito bem, mas eu devo te lembrar que nenhuma de suas pragas fez efeito, isso porque o meu poder é muito maior que o seu, mas agora é a minha vez de te rogar uma praga, te garanto que a minha vai concertasa se realizar.
- Pode vim, duvido que você faça alguma coisa contra mim!!!
- Primeiro você vai perder a sua fonte de renda, depois varias explosões vão acontecer em sua casa e por ultimo você vai sofrer um acidente!!!
Ele seguiu o caminho morrendo de tanto rir, mas ele nem imaginava o que eu tinha preparado para ele. Se acaso você deve estar pensando que eu sou macumbeiro também, você esta enganado, eu só me fiz de macumbeiro, ao contrario dele que jogava as pragas e ficava esperando acontecerem, eu iria fazer as minhas pragas acontecerem. Primeiro foi corta a fonte de renda dele, isso foi ate fácil, eu só pedia para o porteiro (que alias era muito meu amigo) dizer para os clientes do Zuribunfi que a policia estava no apartamento dele o interrogando sobre o assassinato de uma criança, ela para ele dizer também que os policiais estavam desconfiados que o Zuribunfi usou a criança para um ritual e que era para os clientes não subirem lá se não a policia poderia envolver eles e ate que eles poderiam ser presos, ao ouvirem isso as pessoas ficavam muito assustadas e nem insistiam em querer subir, daí o porteiro indicava um outro térreo de macumba para os clientes do Zuribunfi (pedi para o porteiro dizer que lá eles curavam ate câncer), ao ouvirem que lá curavam ate câncer, eles davam meia volta e iam direto para o outro terreiro. Assim passou duas semanas e o porteiro conseguiu que ninguém subisse ate o apartamento do Zuribunfi, depois eu tive que fazer as coisas no apartamento dele explodir, isso também foi fácil, de noite foi só levar um amigo meu, que entende tudo de elétrica, ate uma central por onde toda a fiação eletrica do prédio passava, ali ficava os relógios de luz de cada apartamento, daí ele fez uma gambiarra e ligou dois fios ao disjuntor do apartamento do Zuribunfi, na mesma hora a luz do bloco inteiro se apagou e todos os aparelhos elétricos e as lâmpadas do apartamento dele que estavam ligadas, sofreram uma sobrecarga de energia e explodiram ao mesmo tempo. Então chegou a vez de realizar a quarta praga, essa também foi relativamente fácil, eu amarrei um fio de pesca perto do pé do corrimão, depois levei o fio por baixo da porta do meu apartamento e fiquei espiando pelo olho mágico se o Zuribunfi saísse de casa, quando ele saiu foi descer as escadas eu puxei o fio, daí ele tropeçou no fio e desceu rolando as escadas.
Quando ele voltou do hospital (alias ele voltou todo arrebentado) eu fiz questão de rogar uma outra praga nele, só que essa eu não iria cumprir era apenas para assusta-lo. Então quando eu o vi eu fui para perto dele e roguei a praga:
- se você não sair do condomínio em duas semanas, um fogo enorme vai cozinhá-lo por dentro ate que a sua morte chegue.
Ele arregalou os olhos e saiu de fininho, a minha intenção era que ele assustado se mudasse dali em duas semanas, mas nem precisou de muito tempo, dois dias depois ele já estava em outro apartamento bem longe dali.

2leep.com

6 Comentarios:

Estela disse...

Ai se eu tivesse um visinho desse eu acho que surtaria, mas nao sei se teria coragem para fazer o que voce fez...

Anônimo disse...

Hey! Sorry a invasão.
Mas é por uma boa causa,
estou passando pra divulgar o meu Layshop.
Dá uma passadinha lá pra conferir.

http://plastic--barbie.zip.net/

Espero sua visita, beijos.

Anônimo disse...

meu amigo cuidado quando falar contra um servo de Deus.. tem alguma coisa contra os evangelico?
leia mais um pouco a biblia e saberas q estas muito enganado sobre oq vc penssa.
Leia em ''Deuteronômio''4,28( Êxodo 34,14)pensse bem

Anônimo disse...

Sim, provavelmente por isso e

Anônimo disse...

Nossa primeiro que vc nao devia ter nada contra os evangelicos mais vc tbm é corajoso se fosse eu procuraria uma igreja para nenhuma praga chegar ate mim ou eu repreenderia a praga pois tem um verrsiculo assim `mil cairao ao meu lado dez mil a minha direita mais eu nao serei atingido` intaum eu nem ligaria pro que ele falasse...

Anônimo disse...

Que louco! Era só chamar pelo nome de Jesus... isso ia acabar em um instante!

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB