O carro rosado

As vezes o meu pai me pegava para fazer certas coisas que ele deveria fazer mas tinha uma preguiça total de fazer, como levar o lixo para fora, ajudar o meu avô no banho, lavar a louça e etc. Apenas uma dessas coisas eu fazia sem reclamar, lavar o carro... afinal era a única oportunidade que eu tinha de dirigir o carro (mesmo que fosse apenas para tirar da garagem).
Então um dia meu pai veio com uma cera mágica que tirava o os riscos e dava brilho no carro, como sempre o preguiçoso me ordenou a lavar e encerar o carro, mas eu não reclamei não. Tirei o carro da garagem e o lavei como se fosse o meu filho, deixei o bichinho tão limpo que eu poderia usar como espelho. A cera era vermelha escuro, era a primeira vez que eu via uma cera automotiva desta cor, mas como era a super cera mágica que tirava risco e dava um brilho intenso eu apliquei ela em todo o carro. Ao tentar retirar a cera eu percebi que o negocio não havia dado certo, eu esfregava e esfregava a flanela e o carro que era branco estava rosa, na hora pensei que era apenas num ponto mas o carro ficou inteiro rosado. Fiquei desesperado “puta que o pariu, fudi com o carro do meu pai!!!”
Então lavei o carro com muita água e sabão por mais duas vezes e nada, lavei uma terceira vez e com querosene e nada... o carro teimava em ficar rosa.
Nesse ponto já estava semi-desesperado pela bronca que iria levar de meu pai, então levado mais pelo desespero que pela razão eu decidi levar até um lava-rápido que tinha a 15 quadras de casa. Entrei no carro, liguei o motor e sentei o pé na tábua para ir e voltar antes que o meu pai acordasse e notasse a falta do carro.
Passei zunindo pelas ruas sem saber a velocidade que estava, afinal eu não tinha noção de velocidade e não sabia ver direito o velocímetro, na realidade eu só sabia tirar e colocar o carro na garagem. Próximo de chegar ao lava-rápido virei a esquina rápido de mais e perdi o controle do carro que deu um cavalinho de pau e bateu com tudo a roda traseira no meio fio. A roda ficou torta, com isso desisti de ir para o lava-rápido e voltei com o carro capengando para casa! Escondi o carro na garagem e fiz questão de esquecer de tudo aquilo e se alguém perguntasse alguma coisa eu diria “não sei!”.
Meu pai passou o fim de semana sem olhar para o carro, mas na segunda feira quando ao ver o estrago o velho quase surtou, primeiro ele chamou a família toda para ver o estrago e perguntar se alguém sabia de algo, eu prontamente fingi estar espantado com o estrago e disse que não sabia de nada, tinha deixado o carro perfeito naquele dia.
Então o meu pai logo achou um culpado, o vizinho que ele odiava!!! Como os dois mal se falava meu pai só o culpou sem ir tirar satisfação (ele simplesmente se vingou, comprou umas latas de spray e deu uma leve pichada no carro desse vizinho...), já o nosso carro teve que receber uma nova pintura já que a cera estragou a pintura totalmente (estragar não estragou, mas deixou rosa). Até hoje ninguém sabe que fui eu que fiz a cagada!!!

2leep.com

1 Comentarios:

Anônimo disse...

AUHAUHAUHAUAHUAHAUAHAUAHUA, ri muito!

 
©2009 Historias de minha vida | by TNB